O que fazer quando as máscaras machucam ou causam alergias na pele


Com a necessidade da utilização das máscaras de proteção ao novo coronavírus surgem casos de pessoas que desenvolveram ou agravaram alergias e irritações na pele. O contato direto com as máscaras pode desencadear dermatites diversas, por isso a orientação dos especialistas é sempre optar por tecidos 100% algodão, já que as fibras naturais não contribuem para as irritações.

As dermartites causadas pelas máscaras podem ser de contato alérgico, por alergia ao tecido da máscara ou aos produtos de limpeza utilizados na higienização. As dermatites irritativas são as causadas pelo contato prolongado, atrito e até mesmo pelo contato da saliva, que fica no tecido, com a pele, culminando em lesões. A oclusão e o atrito também podem agravar dermatites pré-existentes, como as geradas pela psoríase, dermatite atópica, acne, entre outras.

“Além de preferir as máscaras de tecido 100% algodão, é importante manter a hidratação da pele com cremes próprios para a região. Preferir sempre cremes neutros e sem cheiro para fazer essa hidratação. Outro fator importante é a troca frequente da máscara, já que quando está úmida gera mais irritação”, afirma a dermatologista Marina Coimbra, do Plunes Centro Médico, em Curitiba.

Segundo a médica, se mesmo com essas medidas a irritação não melhorar é importante procurar um dermatologista, que poderá avaliar e prescrever os cuidados necessários. “Alguns casos podem desenvolver infecção secundária, o que necessita de uma prescrição médica”, diz.

A higienização deve seguir as orientações do Ministério da Saúde, que recomenda deixar a máscara de molho por 30 minutos em uma solu- ção de 10 ml de água sanitária para 500 ml de água limpa. Após esta primeira etapa, é preciso lavar bem a máscara com água e sabão. “Para quem tem lesões de pele desencadeadas pelo uso da máscara é importante preferir sabão de coco e produtos hipoalergênicos, sempre enxaguando bem a máscara antes de colocar para secar”, detalha a especialista.

Para quem precisa utilizar a máscara de forma contínua é importante trocá-la a cada duas horas ou até mesmo antes, caso fique úmida ou suja. Entre as trocas de máscara os especialistas recomendam hidratar a pele com um produto específico para o rosto, evitando sabonetes abrasivos e que possam causar irritação. Outro ponto de alerta são os procedimentos estéticos, que devem ser protelados para depois do fim da epidemia.

“Agora não é o momen- to para uso de cremes de tratamento como peelings e ácidos. Estes procedimentos tendem a fazer a quebra da barreira cutânea, o que predispõe a irritação”, finaliza Marina.