Delegado Responde - Acidente fatal na Rampa da Espanhola e tumulto generalizado


JORNAL O SANTARRITENSE - Dr. Domingos, soubemos de dois fatos ocorridos nesta semana, referentes a uma morte acidental de um esportista e de um tumulto generalizado no qual algumas pessoas teriam sido feridas com uso de arma branca. Poderia falar sobre tais casos?

DR. DOMINGOS ANTONIO DE MATTOS - De fato, estes dois fatos ocorreram, os quais foram registrados no plantão policial de Porto Ferreira.

J.O.S. - Sobre a morte acidental do esportista, o que o senhor poderia nos falar?

DR. DOMINGOS - Conforme noticiado, o fato ocorreu na tarde do dia 26/07. Consta que um praticante do esporte denominado “paraglider”, em determinado momento de seu vôo, sofreu uma queda em área rural deste município, denominado “Rampa da Espanhola”.

Segundo uma testemunha que estava no local, o esportista havia decolado na rampa e, já bem acima desta, começou a perder altura e caiu diretamente ao solo, a uma altura aproximada de 10 metros. Foram providenciados os primeiros socorros à vítima sendo este encaminhado ao Hospital desta cidade, porém, apesar dos esforços da equipe médica, não foi possível a sua reanimação, vindo assim o esportista a óbito. O esportista era morador do município de Atibaia/SP.

J.O.S. - Quais os procedimentos que foram adotados?

DR. DOMINGOS - Além do registro dos fatos através de boletim de ocorrência, o corpo do esportista foi encaminhado para o IML de São Carlos para os exames necessários e estamos no aguardo da chegada deste laudo para devida apuração dos fatos.

J.O.S. - E quanto ao tumulto generalizado, o que o senhor poderia nos informar?

DR. DOMINGOS - Trata-se de fato ocorrido na noite de 25/07/2020. Segundo os Policiais Militares que chegaram no local dos fatos, a saber, na Vila Norte, nesta cidade, estes tomaram conhecimento que, nesse dia, em duas casas distintas, ocorriam confraternizações entre familiares e amigos e, em determinado momento, iniciou-se um tumulto generalizado envolvendo os participantes das duas confraternizações, saindo alguns deles feridos. 

Quando da chegada da Polícia Militar, os lesionados neste tumulto já haviam sido socorridos na Santa Casa desta cidade. Segundo as informações colhidas no local, o tumulto se iniciou em razão de um choque entre dois veículos que estavam estacionados em meio a via pública. Diante a complexidade dos fatos, boa parte dos envolvidos foram conduzidos ao plantão policial de Porto Ferreira, onde cada qual apresentou sua versão. 

Versões, diga-se, contrastantes entre si. No plantão policial, também foi noticiado que uma mulher, que estava no meio da briga generalizada, fora esfaqueada. A referida vítima foi socorrida e se fazia presente no plantão quando do registro dos fatos, chegando a apresentar a faca com a qual foi golpeada. 

Em sua versão, ela atribuiu o ato a outro envolvido na briga. Neste tumulto, dois homens, pai e filho, também foram esfaqueados, sendo que segundo os presentes no plantão, o ato teria sido causado por outra mulher também envolvida na contenda. Porém, no plantão policial somente foi apresentada uma única faca, pela própria mulher vitimada. 

Das pessoas que foram conduzidas ao plantão, apenas a mulher esfaqueada e um outro indivíduo passaram por atendimento médico, porém nenhum deles possuíam documento médico comprobatório das lesões sofridas. Os demais envolvidos, mesmo alegando serem vítimas de lesões, não haviam procurado atendimento médico quando do comparecimento no plantão policial. 

Quanto ao pai e filho também esfaqueados, foi emitido apenas uma informação verbal de que o pai seria submetido à procedimento cirúrgico e o filho, apesar de apresentar um quadro estável, ainda ficaria em observação no hospital. Consta ainda que nenhum documento foi emitido pelo Hospital que permitisse dimensionar a gravidade das lesões. Ao todo, foram 15 pessoas qualificadas naquela oportunidade.

J.O.S. - Dr. Domingos, tudo isto em razão de uma batida entre dois veículos? Seria isto mesmo?

DR. DOMINGOS - A priori, sim. Infelizmente uma tragédia sem dimensões poderia ter ocorrido devido a uma banalidade.

J.O.S. - E quais os procedimentos que serão adotados?

DR. DOMINGOS - Além destes fatos, recebemos via Delegacia Eletrônica que ainda estão ocorrendo problemas entre os envolvidos. A dimensão da ignorância destes fatos já devia ser suficiente para não ocorrer qualquer tipo de desdobramento dos fatos. 

Deste modo, instaurei Inquérito Policial para a cabal apuração do ocorrido, das circunstâncias em que os fatos se deram e a responsabilização de todos os envolvidos vez que, independente das lesões sofridas pelas vítimas e a devida tipificação do crime cometido, entendo já estar configurado o crime de rixa, o qual atinge a todos os envolvidos.