Polícia Civil prende dois suspeitos de aplicar o "golpe do motoboy" em Santa Rita


Na tarde de terça-feira, dia 21 de julho, Policiais Civis da Delegacia de Polícia de Santa Rita do Passa Quatro-SP prenderam dois indivíduos, sendo um deles de 41 anos, morador de Campo Limpo Paulista-SP e o outro de 26 anos, morador de Caieiras-SP, após terem cometido estelionato em nossa cidade, consistente no fato que vem sendo conhecido como “golpe do motoboy”.

Conforme apurado, um casal de idosos de Santa Rita recebeu um contato via telefone de uma pessoa que se identificou como funcionária de um estabelecimento bancário, questionando se as vítimas haviam feito uma compra com a utilização do seu cartão bancário, sendo que diante da negativa das vítimas, a interlocutora disse que os cartões haviam sido “clonados” e orientou para que colocassem os seus cartões bancários dentro de um envelope, bem como uma carta escrita de próprio punho constando as senhas e o pedido de cancelamento, envelope este que seria retirado na residência por um “agente da polícia civil”.

Assim, compareceu um motociclista na residência das vítimas, as quais lhe entregaram os cartões bancários, constatando as vítimas posteriormente que foram efetuadas duas compras com seus cartões, que totalizaram o valor de R$ 4.500,00 em prejuízo.

Em poder dos autores, a Polícia Civil encontrou os cartões bancários que lhes foram entregues pelas vítimas, diversas “maquininhas” de cartões, aparelhos de telefones celulares, além de uma motocicleta e um veículo, dentre outros objetos.

Os autores foram conduzidos à Delegacia, onde foram autuados em flagrante delito pelo crime de estelionato, sendo recolhidos à Cadeia Pública de São Carlos-SP. Ressalte-se que no mês de maio p.p., a Polícia Civil já havia prendido um outro indivíduo, morador de São Paulo-SP, que também se encontrava em Santa Rita naquela ocasião realizando este mesmo tipo de crime.

É importante destacar que tal “golpe” vem ocorrendo com frequência em nossa cidade, vitimando frequentemente pessoas idosas que acabam acreditando na versão de que o interlocutor se trata de um funcionário bancário ou de operadora do cartão, entregando os cartões para um “motoboy” que depois comparece na residência das vítimas.

Desta forma, no momento atual, a Polícia Civil alerta que é necessária muita cautela em qualquer tipo de contato, seja por telefone ou através de aplicativos, quando o assunto se referir a cartões bancários e suas senhas pessoais, bem como as suas entregas à terceiros.