Notícias da Estrela


FUTEBOL – Continuamos a aguardar o andamento da situação epidemiológica do País, para voltarmos aos gramados, tanto do nosso Estádio Júlio Gonçalves de Campos, quanto aos da região. Sabemos da ansiedade dos atletas quanto a esta volta, mas temos que cumprir as precauções, pois elas representam a preservação de muitas vidas, tanto ligadas diretamente ao esporte, quanto indiretamente.

ELEIÇÕES – Sabemos do adiamento das datas, e ainda da indefinição correta de quando ocorrerá o pleito eleitoral, visando as eleições deste ano. Sabemos que nos nossos conceitos, ficou relegado a segundo plano esta preocupação, o que também incomoda, pois talvez o critério para escolha dos eleitos não seja tão discutido, ou tão selecionado. O que poderá nos dar mais dores de cabeça, pois teremos mais quatro anos difíceis pela frente, pós pandemia, com uma economia fragilizada e com a eminencia de um comando talvez não preparado, ou apropriado para o momento.

RODAS DE BANCO DE PRAÇA – Infelizmente na nossa praça, isto está parando, pois estamos vendo que nem praça talvez tenhamos. Ela também está passando por uma pandemia política e sem preocupação de recuperação das nossas autoridades – Mas vamos ao assunto.

Perguntas que pairam no ar:

- QUEM serão os propícios candidatos à prefeitos?
- QUEM serão os candidatos a vereadores?
- QUEM nós da Estrela poderemos escolher?
- Sabemos que temos força para eleger ao menos vereadores, mas também sabemos que eles somem do distrito pós eleição.
- Há um conceito geral aqui, que ficamos esquecidos nos últimos anos, não houve um mal governo pra cidade, mas para a Estrela se deixou a desejar.

AÇÃO CORRETA – A interdição da quadra esportiva e a área de lazer da Estrela. A maioria da população estava preocupada com o que estava ocorrendo ali. Estava se tornando um local apropria- do para a propagação do vírus em nosso Distrito.

Moradores das cidades vizinhas, visto a proibição de aglomeração em suas cidades, passaram a se reunirem aqui, como se fosse terra de ninguém.

Crianças de fora no parquinho junto as nossas, somadas aos adultos que também adentravam o meio sem a menor preocupação com uso de máscara ou álcool gel.

Bancos da praça com visitantes espalhados (a lá vonté) – na quadra se reuniam times de fora, com sua torcida num verdadeiro festival de pouco caso.

Agradeço a nossa vice-prefeita pela colaboração neste sentido nos ajudando a tomar esta medida de precaução com as famílias Estrelenses.

PANDEMIA –
Um assunto que causa muita insegurança e contradições ainda.

Velejamos em um mar turbulento e cheio de incertezas. Queremos a volta da normalidade, mas ainda há um crédito rodeado de descredito, o uso da máscara ainda não é unânime entre a população. Muitos ainda não se deram conta de que esta guerra em prol da saúde tem que ser dia a dia, que ainda não se vê a luz no final do túnel, que há um vai e volta feito, io io, que nossas vidas estão em uma gangorra.

Enquanto não houver a vacina, e o povo for imunizado através dela, paira no ar a probabilidade da volta do mesmo drama vivido. A palavra Pandemia, que muitos não conheciam, virou rotina, e mostrou a sua força em dizimar vidas. Outra coisa que ela mostrou que ela é superior a classes sociais, raças, restando a nós ainda a fé. Nunca vimos em nossas redes sociais, tanto apego a religião como está ocorrendo agora.