Notícias da Estrela


FUTEBOL – Parado, sem previsão, bem indefinido. Esta é a situação que prevalece aqui no interior, principalmente nas equipes amadoras e varzeanas. Onde o futebol é mais um atrativo esportivo e de la- zer as comunidades. Os times profissionais tem uma opção e uma ordem a seguir que lhes são facilitadas e apropriadas, que é o exame preventivo que vai autorizar o time a colocar os jogadores na ativa. Mas e nós da várzea? Onde o futebol é uma prática de fim de semana, de lazer e sem compromisso monetário para os atletas?

Não temos departamento médico, nem condições de bancar exames dos atletas.

Conclusão ficamos a mercê da mídia e esperando assim um aval das autoridades, que digam que estamos liberados, para que a vida cotidiana volte ao normal. Portanto futebol varzeano sem previsão de volta.

AGLOMERAÇÃO – OU AGLUTINAÇÃO – Na linguagem portuguesa significa união, agrupamento, enfim coisas que nesta época se encontra excluída do nosso dia a dia, palavra expulsa da nossa vivência pela epidemia.

Mas mesmo assim, na prática continuamos a ver isto acontecer. Muitos ainda não acreditam ou fazem de desapercebidos do risco que isto causa de forma geral a comunidade, comunidade esta, que inclui seus familiares, principalmente pais e avós.

A Estrela tem servido de refúgio para muitos das cidades vizinhas, que para terem um pouco mais de liberdade se refugiam aqui. Mas esta fuga também pode acarretar na propagação do vírus, que por meio de osmose, pode adentrar a nossa comunidade.

A Estrela na sua verdade possui a maior porcentagem de pessoas idosas em seu senso habitacional. A falta de um comércio mais ativo, inviabilizou a prática da máscara protetora em suas ruas, já que a maior parte do tempo que se passa nelas, não são destinados ao comércio, onde seria obrigatório o uso deste acessório.

Há uma preocupação por parte de algumas pessoas quanto a este desleixo, quanto ao perigo que ronda. Nos primeiros dias tivemos aqui uma ação policial coibindo aglomerações, falando do uso obrigatório das máscaras, proibindo até o futebol na quadra, mas também, se relaxou quanto a esta orientação e proibição. O risco é que se aqui acontecer da epidemia vir a fazer vítimas, elas irão ocupar os leitos da nossa Santa Casa, o que poderá agravar a área da saúde. Não somos um povo isolados, como sempre disse somos partes de um todo que é o povo santarritense.

É o meu alerta somado a preocupação com a nossa gente.

REENVIDICAÇÕES:- Bem são tantas, somando as dos anos anteriores, mais as deste ano.

Eliminadas!!!??? – Quais???

Acrescentadas... Aí sim podemos dizer sobre a Deterioração maior da praça.

Deterioração das calçadas bem mais acentuadas.

Deterioração do asfalto das ruas bem mais acentuado.

Deterioração dos acostamentos da pista vicinal da Estrela a Tambaú bem mais grave.

Enfim parece que a Estrela está sofrendo também uma epidemia do Corona Abandonátorio – (palavra nova, para o Aurélio, significa:- abandono notório).

E com esta contribuição para a língua portuguesa me despeço POR ESTA SEMANA.