MENTIRA! Pesquisa do MIT não diz que coronavírus não é transmitido em locais com temperaturas acima de 20ºC


Uma mensagem que tem circulado nas redes sociais diz que "o novo coronavírus não sobrevive a temperaturas acima de 20ºC" e atribui essa informação a pesquisadores do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts). É MENTIRA.


Pesquisadores do renomado instituto, de fato, realizaram uma análise prévia sobre o impacto da temperatura na transmissão do novo coronavírus. Em nenhum momento, porém, os autores do estudo, Qasim Bukhari e Yusuf Jameel, dizem que o vírus não se propaga em temperaturas mais elevadas.

O que a pesquisa diz é que a maioria dos casos confirmados foi registrada em locais com temperaturas entre 3ºC e 17ºC. Ainda assim, os próprios pesquisadores colocam muitas ressalvas, dizendo que "os dados analisados ​​estão mudando rapidamente e ainda há várias incógnitas, incluindo como o vírus está evoluindo, quais são os números reprodutivos e a maneira dominante de ele se espalhar".

Afiimam ainda que "o maior número de testes e a conectividade global dos países mais frios pode explicar a diferença no número de casos confirmados de Covid-19 entre regiões mais frias e regiões mais quentes e úmidas". Mas reforçam que essa investigação é válida, pois "se o vírus é realmente sensível a fatores ambientais, então isso pode ser usado para otimizar as estratégias de mitigação".

"Nossos resultados de forma alguma sugerem que o Sars-CoV-2 não se espalha em regiões úmidas e quentes e intervenções eficazes de saúde pública devem ser implementadas em todo o mundo para diminuir a transmissão", afirmam os pesquisadores.

Outras pesquisas recentes têm chegado a conclusões semelhantes. Um estudo feito por pesquisadores da Espanha e da Finlândia (ainda não revisado por seus pares) diz que a "propagação atual sugere um certo grau de determinação climática, com o coronavírus exibindo uma preferência por condições como o frio e tempo seco". Em nenhum momento, porém, é dito que o vírus não se propaga também no calor. Pelo contrário.

Um outro paper feito por cientistas chineses também indica que a alta temperatura e a alta umidade podem ter um papel importante na redução da transmissão.

Especialistas, porém, reforçam que é preciso cautela com essa informação. A equipe do Fato ou Fake, inclusive, já desmentiu um boato semelhante ao que circula agora, que dizia que o vírus não resiste ao calor e a temperaturas de 26ºC ou 27ºC.

A diretora do Instituto de Medicina Tropical (IMT-USP) Ester Sabino, uma das responsáveis pelo sequenciamento do genoma do novo coronavírus, é direta: "A temperatura do corpo humano é 36ºC. Portanto, esta afirmativa é falsa".

A virologista Camila Malta Romano, também do IMT-USP, explica por que a afirmação não se sustenta. "O vírus (assim como outros vírus envelopados) sofre com temperaturas mais quentes, mas temperaturas acima de 45ºC. E isso depende do tempo em que é exposto também."

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que o vírus é, sim, transmitido em áreas mais quentes. "Segundo as evidências obtidas até agora, o vírus responsável pela Covid-19 pode ser transmitido em todas as áreas, incluindo áreas com clima quente e úmido", diz a entidade.

"Vírus não respeita temperatura. O H1N1 atingiu os Estados Unidos em pleno verão. A Influenza é um vírus de inverno e tem todo ano no Caribe [região tropical]. No ano passado, teve surto de H1N1 no Amazonas", diz a infectologista Nancy Bellei, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia.