Em quatro dias, campanha de vacinação aplica mais de 3000 doses em Santa Rita


A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe para idosos (acima de 60 anos) e profissionais de saúde, em Santa Rita do Passa Quatro, atendeu mais de 3000 pessoas em quatro dias.

A vacinação para idosos começou na EMEI Galdina Lima Segatto, na segunda-feira (23/3), na terça-feira (24/3) foi promovida no sistema “drive thru”, quando as pessoas recebem a vacina dentro dos próprios carros, em frente a EE Nelson Fernandes, e na quarta e quinta-feira (25 e 26/3) a campanha voltou para a EMEI Galdina, recebendo o reforço da ETEC Manoel dos Reis Araújo (Escola Agrícola), com apoio dos alunos do curso técnico em enfermagem. Nestes locais foram vacinados 2798 idosos. No mesmo período, no Centro de Saúde II, foram aplicadas 267 doses em profissionais de Saúde.

Equipes do PSF Dulce Rodrigues de Campos, em Santa Cruz da Estrela, e PSF Miguel Bello, no Jardim São Luiz, vacinaram idosos em suas próprias residências pelos agentes do Programa Saúde da Família, porém o número de vacinados ainda não foi contabilizado nesta parcial. Também ainda não foram somados, os profissionais vacinados que atuam na Santa Casa de Misericórdia. Estima-se que até o encerramento da semana, as 3600 doses disponíveis no município já tenham sido aplicadas.

O número de vacinas aplicadas nestes quatro dias superou todas as expectativas – em comparação, em 2019 foram vacinadas 4 mil pessoas, no total da campanha, dentro dos dois grupos de risco – e as doses se esgotaram antes do tempo. Agora, o Departamento Municipal de Saúde aguarda a liberação de novas doses por parte do Ministério. A previsão é de que 5 mil idosos e 800 profissionais de saúde em Santa Rita sejam vacinados este ano.

ATENCIPAÇÃO Prevista para iniciar na segunda quinzena de abril, campanha foi antecipada pelo Ministério da Saúde, em função do coronavírus. De acordo com o governo federal, a antecipação tem dois principais motivos: facilitar e acelerar o diagnóstico da síndrome respiratória covid-19, causada pelo novo coronavírus, e evitar que o sistema de saúde fique sobrecarregado.

A vacina contra a gripe não protege contra o novo coronavírus, mas, sim, contra tipos de influenza (família à qual pertence o H1N1). E justamente por isso pode ajudar no diagnóstico por eliminação dos profissionais de saúde com suspeita de covid-19.

Isso porque essas doenças contempladas pela vacina serão descartadas na triagem de pacientes que chegarem às unidades de saúde com sintomas gripais e informarem já ter sido imunizados.

O segundo aspecto diz respeito ao fato de que o número de pessoas com síndromes gripais seria muito maior se não fosse promovida a campanha de vacinação. Haveria, portanto, muito mais gente ocupando o sistema de saúde. 

CALENDÁRIO DA CAMPANHA No dia 16 de abril a campanha começa a atender professores e profissionais de segurança e salvamento. De 9 de maio em diante será a vez das crianças de 6 meses a menores de 6 anos, doentes crônicos, pessoas com 55 anos ou mais, grávidas, mães no pós parto, população indígena e portadores de condições especiais.