Delegado Responde - Desaparecimento de Natalia e prisão na zona rural


AS INFORMAÇÕES COLETADAS FORAM PUBLICADAS NO JORNAL O SANTARRITENSE, DO DIA 2 DE NOVEMBRO DE 2019. AS INFORMAÇÕES PODEM SOFRER MUDANÇAS, COM O ANDAR DAS INVESTIGAÇÕES, AS QUAIS SEGUIREMOS DIVULGANDO À POPULAÇÃO.

Informações atualizadas podem ser encontradas no portal R7.

JORNAL O SANTARRITENSE - Dr. Domingos, impossível não iniciar a entrevista com a pergunta de como estão às investigações sobre o desaparecimento da jovem Natalia, vez que o caso tem ganhado grande repercussão nas redes sociais e em matérias exibidas pela TV Record. O Dr. poderia nos dar detalhes sobre esse caso?

DR. DOMINGOS ANTONIO DE MATTOS - Sim, no dia 25 p.p., no início da tarde, a genitora de Natalia compareceu nesta Unidade narrando que sua filha havia saído de casa, na tarde do dia anterior, alegando que iria fazer as unhas de uma tia, vez que trabalha como manicure, não mais retornando e seu celular deixando de receber ligações. 

Apurou a informante, preliminarmente, que referida tia já havia desmarcado as unhas e agendado nova data. Finalizou dizendo que o atual companheiro da desaparecida está preso e a mesma, dias atrás, teria sido agredida por uma mulher no Bairro São Luiz, a qual também a ameaçou dizendo que iria pegá-la.

JORNAL O SANTARRITENSE - Entre várias postagens sobre o acontecido também é citado um casal que teria obrigado Natália adentrar em um carro, além do fato da mesma estar sendo mantida em cárcere em um centro de umbanda no município de Ribeirão Preto. Essas versões já foram investigadas?

DR. DOMINGOS - Muitas versões para o desaparecimento estão surgindo a cada momento que passa e a Polícia Civil procura sempre verificar a idoneidade das mesmas. O casal citado foi conduzido até essa Unidade onde negou, peremptoriamente, participação no desaparecimento de Natália e apresentou álibi sobre onde estava na tarde dos fatos, o que também está sendo verificado.

O homem esclareceu que manteve relacionamento com Natália há mais de 4 anos e que a mesma, no início deste ano, lhe enviou solicitação de e-mail, o que foi descoberto por sua atual companheira. A mulher, por sua vez, alegou que procurou Natalia para saber o que desejava com seu marido, ocasião em que surgiu uma discussão e agressões mútuas, isso no início do ano, não tendo nenhuma delas comunicado os fatos para a Polícia. 

A pessoa que teria comentado ter visto Natália ser colocada em um carro também prestou depoimento negando e alegando desconhecer os fatos. Existe a versão de que Natalia teria recebido proposta para fugir com um homem casado com quem teria se envolvido. Também surgiu comentário falso de que Natalia teria sido encontrada morta no deserto e outras inúmeras versões para seu desaparecimento.

JORNAL O SANTARRITENSE - E como a Polícia está tratando o caso?

DR. DOMINGOS - Quando a mãe aqui compareceu registramos RDO de Desaparecimento e realizamos todas as comunicações e diligências cabíveis ao caso. Posteriormente, em virtude dos boatos de possível sequestro, determinei a instauração de inquérito policial e a realização de diligências tendentes ao esclarecimento dos fatos. Não descartamos nenhuma hipótese, mais ainda não podemos afirmar o que teria realmente ocorrido com Natália.

JORNAL O SANTARRITENSE – Mudando de assunto, nessa semana um morador na zona rural foi preso com duas espingardas? Essa informação procede?

DR. DOMINGOS - Sim, na tarde do dia 29 p.p., policiais ambientais estavam realizando operação no KM 245 da Rodovia Anhanguera quando abordaram o condutor do veículo GM/Chevette, placas de Porto Ferreira, encontrando em seu interior um cartucho, deflagrado, de espingarda calibre 36. Indagado sobre possuir armas, respondeu afirmativamente e levou os policiais até sua casa, sito em propriedade rural existente nas proximidades, onde entregou duas espingardas, uma calibre 36 e outra 28, além de inúmeros cartuchos, alguns íntegros e outros deflagrados. 

Em virtude de não possuir documentação das armar recebeu voz de prisão e foi apresentado na Delegacia de Polícia. Após formalização do auto de prisão em flagrante o suspeito foi colocado em liberdade mediante pagamento de fiança arbitrada em R$ 1.000,00 (um mil reais), devendo responder processo crime junto ao E. Juízo de Direito da Comarca de Santa Rita do Passa Quatro.