Delegado Responde - Violência doméstica, incêndio na área rural, e investigações da ossada encontrada


JORNAL O SANTARRITENSE - Dr. Domingos, qual o panorama desta semana?

DR. DOMINGOS ANTONIO DE MATTOS -
Esta semana foi relativamente calma em relação aos registros policiais.

J.O.S. – Algum fato em destaque?

DR. DOMINGOS - Nesta semana, dois casos de violência doméstica foram registrados em nossa cidade, bem como um Boletim de Ocorrência sobre incêndio ocorrido em propriedade rural neste município.

J.O.S. – Nestes casos de violência doméstica, o que o senhor poderia nos relatar?

DR. DOMINGOS - No primeiro caso registrado, a vítima compareceu nesta Unidade Policial, relatando que o agressor, o qual foi seu companheiro por 10 anos, estando deste separado há dois, foi até a sua residência com a intenção de levar a filha em comum do casal para um passeio. A vítima acabou não permitindo esta viagem e, aproveitando fatos pretéritos, acabou indagando o agressor sobre os valores atrasados referente à pensão alimentícia devida.

Desta forma, o agressor iniciou ofensas verbais contra a vítima e, na sequência, lhe ameaçou de morte, exibindo um objeto semelhante a uma arma de fogo. Narrou ainda que, além destes fatos, o agressor se encontrava com a atual companheira, a qual também lhe ameaçou, bem como avançou contra si, entrando ambas em luta corporal. 

Neste contexto, informou a vítima que no local estava uma outra pessoa, sendo que ao ver a contenda, bradou que iria chamar uma viatura da Polícia Militar. Neste instante, os agressores foram embora do local. Nesta Delegacia, a vítima manifestou o desejo de se valer de medidas protetivas, sendo também instaurado o inquérito policial para a apuração dos fatos.

J.O.S. – E quanto ao segundo caso?

DR. DOMINGOS - No segundo caso, a vítima aqui compareceu informando que manteve um relacionamento com seu agressor mas estão separados há algum tempo. Estando em seu local de trabalho, o agressor adentrou ao imóvel e surpreendeu a vítima que estava na varanda da casa, e de pronto começou a ofendê-la e, em seguida, avançou contra sua pessoa, desferindo tapas, puxões de cabelo, socos entre outros tipos de agressão. 

Neste interim, segundo a vítima, o agressor sacou de uma faca que portava, chegando a encostar em seu pescoço, dizendo que iria matá-la. A vítima, com um empurrão, conseguiu se desvencilhar do agressor e disse que chamaria uma viatura da Polícia Militar. 

O agressor, fugindo do local, ainda pegou o aparelho de telefone da vítima, desferiu duas marteladas e o levou embora. Nesta Delegacia, como o caso antes citado, foram requeridas medidas protetivas, sendo instaurado inquérito policial.

J.O.S. – E quanto ao caso do incêndio registrado?

DR. DOMINGOS - O caso ocorrido em uma propriedade rural deste município, acabou destruindo cerca de dois hectares de área de preservação permanente. Foi determinado ao setor de investigações para a apuração dos fatos, visando o esclarecimento se tal incêndio teve origem criminosa.

J.O.S. – Além destes fatos, o senhor poderia pontuar sobre o andamento das investigações acerca do encontro da ossada humana em nosso município.

DR. DOMINGOS - No presente momento, o que posso informar é que o nosso setor de investigações está trabalhando para o esclarecimento destes fatos. É imperioso o sigilo sobre os procedimentos que estão sendo adotados para o sucesso da investigação. Mas, com certeza, quando os trabalhos forem finalizados, os resultados serão divulgado para o conhecimento da população.