Programa para combate do desemprego da Prefeitura de Santa Rita inspira cidade da região


Criado pela Prefeitura Municipal de Santa Rita do Passa Quatro, em 2017, para enfrentar a crise de arrecadação nos municípios brasileiros, o programa Auxílio ao Desempregado, além de trazer benefícios para a cidade, serve de inspiração para outros municípios. Exemplo disso foi a declaração do prefeito de Santa Cruz das Palmeiras, José Crecentino Bussaglia, o Zé da Farmácia, em uma reportagem para o SBT, de que criou o Proad (Programa de Auxílio ao Desem- pregado), em seu município, nos moldes do projeto criado em Santa Rita.

“O Proad visa auxiliar o pessoal que não tem emprego surgiu porque tem uma cidade vizinha, que chama Santa Rita do Passa Quatro, que já tem o programa e deu um resultado muito bom”, declarou o prefeito palmeirenseà reportagem. “O Proad hoje éum sucesso na cidade”, concluiu.

Em Santa Rita, o Programa Auxílio ao Desempregado foi criado pela Lei No 3.351, de 18 de abril de 2017, com objetivo de oferecer oportunidades à população mais carente, para enfrentar a crise financeira e ao desemprego. A implantação é conjunta entre os Departamento de Serviços Municipais e o Departamentos de Assistência e Desenvolvimento Social.

O programa seleciona pessoas desempregadas a fim de proporcionar-lhes ocupação, qualificação profissional e renda,junto ao Departamento de Assistência Social, mediante a concessão de bolsa-auxílio no valor de um salário mínimo, cesta básica, seguro de vida e de acidentes pessoais e cursos e treinamentos de capacitação profissional, pelo prazo de 12 meses, prorrogável por igual período.

Criado originalmente com 20 vagas, o programa ampliou para 25 em 2019, quando cerca de 130 candidatos fizeram inscrições para as provas seletivas. Para participar, todos tiveram que obedecer a critérios como residir no município no mínimo por três anos, não ter outra fonte de renda e ter condições para a execução das tarefas propostas pelo programa. Os selecionados atuam na limpeza de vias públicas, com varrição de ruas, entre outros.

Além de proporcionar manutenção da cidade, o Auxílio ao Desempregado também gera uma economia para o município. Quando terceirizado, o trabalho de varrição de ruas custava aos cofres públicos cerca de R$ 1,2 milhão por ano. Com o programa, hoje são empregados cerca de R$ 250 mil anuais.

“Estamos mantendo a cidade limpa, com grande economia aos cofres públicos e ainda proporcionando oportunidade a quem precisa”, disse o prefeito Leandro Luciano dos Santos. “Issoé gestão, é responsabilidade com o dinheiro público, além de um belíssimo trabalho social”, concluiu.