Detalhes sobre o lançamento da Prefeitura do Conjunto Habitacional Arnaldo dos Santos


Um sonho se tornando realidade para muitas famílias. Na última terça-feira (21/5), véspera do aniversário de Santa Rita do Passa Quatro, a Prefeitura Municipal promoveu a inauguração do Conjunto Habitacional Arnaldo dos Santos (Casas Populares). Quando também a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) entregou as primeiras casas aos seus mutuários.

O evento contou com a presença do prefeito Leandro Luciano dos Santos, a vice-prefeita Maria Rita Mondim de Oliveira, do diretor de Atendimento Habitacional, Marcelo Hercolin, e do diretor Técnico da CDHU, Aguinaldo Quintana, além de prefeitos das cidades de Holambra, Fernando Fiori de Godoy, Santa Rosa de Viterbo, Luís Fernando Gasperini, e Porto Ferreira, Rômulo Rippa, vereadores Paulo Missiatto, Paulo Linares, Juliana Garcia Lorencetti, Kléber Borotto, Lucas Comin, Luiz Carlos Bariotto e Amadeu Aparecido Lourenço. Também estiveram presentes familiares do homenageado.

Após o pronunciamento das autoridades, foram feitas as entre- gas das chaves para as primeiras famílias. Cerca de 100 casas estão prontas e as outras restantes serão entregues até outubro, de acordo com a previsão da CDHU. Na sequência as autoridades foram convidadas a conhecer um dos imóveis e depois o novos mutuários foram acompanhados para fazer vistoria inicial das casas entregues.

De acordo com a CDHU foram investidos R$ 9,4 milhões na primeira fase do empreendimento, que foi viabilizado em parceria com a prefeitura. No total, o conjunto terá 205 casas e merecerá investimentos de R$ 18,9 milhões. O sorteio das famílias que receberam os imóveis foi realizado em outubro de 2017.

“É uma alegria muito grande entregar essas casas aqui em Santa Rita do Passa Quatro, que completa 159 anos amanhã. A nossa orientação aos novos mutuários é que cuidem dessas moradias, que contam com toda a infraestrutura e qualidade”, disse o diretor de atendimento habitacional da CDHU. Hercolin destacou também a importância de se manter as prestações das casas em dia, visto que o valor é investido na construção de novas unidades habitacionais a famílias que precisam.

Das unidades entregues, oito foram para famílias com pessoas com deficiência, cinco para idosos,uma para indivíduo só. Das famílias que receberam as chaves dos imóveis, 88% têm renda de até três salários mínimos. As prestaçõesdo financiamento são calculadas de acordo com a faixa de renda dos moradores. Quem ganha um salário mínimo vai pagar R$ 149,70 de mensalidade.

O auxiliar de serviços gerais Sidney Laguna, de 39 anos, e a dona de casa Silvana da Silva Laguna, de 35 anos, aguardavam ansiosos pelo início da cerimônia da entrega das chaves. “Nós já moramos de aluguel, pagávamos R$ 450 por mês. Acabamos ficando desempregados e fomos morar de favor na casa dos meus pais”, contou Silvana. Sidney relembrou o dia em que ouviu seu nome sendo sorteado. “Foi uma emoção imensurável! Estamos hoje realizando o nosso sonho da casa própria e somos muito gratos à CDHU”.

“Um dia histórico para Santa Rita do Passa Quatro. Na véspera do seu aniversário, entregamos duas das obras mais importantes do município: o Conjunto Habitacional Arnaldo dos Santos (CDHU) e a Estação de Tratamento de Esgoto do Capituva. A partir de hoje, cerca de 100 famílias já podem dar adeus ao aluguel e iniciar uma nova etapa em suas vidas, com casa própria. E em muito breve, outras famílias santa-ritenses também irão receber suas tão sonhadas casas”, disse o prefeito.

O empreendimento, localiza- do no Jardim São Luiz, terá 173 casas com dois dormitórios e 32 com três dormitórios. As unidades com dois dormitórios têm 43,50 m2 de área construída, enquanto que, nas de três dormitórios, essa metragem é de 52.36 m2. Considerando-se apenas a diferença de um dormitório a mais em uma das tipologias, todas as unidades do empreendimento têm sala, cozinha e banheiro e respeitam e incorporam as melhorias estabelecidas como diretrizes de qualidade pela CDHU – pisos cerâmicos e lajes em todos os cômodos, cobertura em estrutura metálica, caixilhos de aço galvanizado, azulejos nas paredes hidráulicas, acessibilidade e aquecimento solar para chuveiros.

O empreendimento também conta com toda a infraestrutura: muro de arrimo e mureta de divisa entre as casas, pavimentação nas vias do bairro, calçada de acesso nas unidades adaptadas, paisagismo, urbanismo, redes de água, esgoto e elétrica, drenagem e iluminação pública.