Sítio Santa Ângela é investimento privado no turismo de Santa Rita do Passa Quatro


Se para muitos, turismo significa passeio, lazer e diversão, para outros, é a grande oportunidade na geração de emprego e renda para a população. Grandes e pequenas cidades do mundo tem seu maior potencial econômico na atividade turística, especialmente com o avanço da tecnologia, quando a indústria automatizada e a agricultura mecanizada, empregam cada vez menos mão-de-obra humana.

Entretanto, o desenvolvimento do turismo não pode – e não deve – acontecer apenas por meio do setor público, cabendo a iniciativa privada uma grande parcela nos investimentos. O poder público deve oferecer os meios, facilitar os caminhos, manter a infraestrutura em dia, mas quem realmente investe e busca retorno financeiro, deve ser o empresário de diversos subsetores que só têm a ganhar com o turismo.

Mas o setor privado só investe com segurança, quando o poder público faz a sua parte abrindo o caminho. E é isso que começa a acontecer em Santa Rita. Esta semana o prefeito esteve em local que é um exemplo de investimento privado no setor.

O Sítio Santa Ângela, no quilômetro 11 da Rodovia Jaime Nori, que oferece turismo pedagógico, com atividades de educação ambiental, cultural, artística e arqueológica. Estudantes podem passar horas em um local com animais exóticos, índios Pataxós – que visitam anualmente a propriedade – e até mesmo um Tiranossauro Rex, em tamanho natural, na floresta. Além do contato com a fauna e floralocais, visitas culturais e turísticas podem ser incluídas ao roteiro, como ao santuário de Santa Rita de Cássia (Matriz), Museu Zequinha de Abreu, entre outros pontos turísticos que Santa Rita oferece.

De acordo com o Gustavo Bianchi, sócio proprietário do sítio, ainda sem a divulgação, em 2018, o local recebeu cerca de 7 mil crianças de 48 municípios. A meta para este ano, quando começa a divulgação efetivamente, é de dobrar este número. Já estãoprevistas inclusive visitas de estudantes da Austrália e dos Estados Unidos para os próximos meses.

O local ainda está recebendo investimentos, como a construção de um amplo refeitório e acomodações, e deve tornar oficialmente um acampamento, com capacidade inicial para 200 e depois 400 leitos.

Como é um projeto pedagógico, a visitação acontece apenas por meio de agendamento. Os pacotes são comercializados por agências de turismo em Ribeirão Preto, Cravinhos e Porto Ferreira. A área de abrangência das vendas acontece em um raio de 300 quilômetros da cidade.

Durante a visita, o prefeito agradeceu pelo investimento.“Muito obrigado por acreditar na cidade. É isso que a gente precisa para o futuro”, disse o prefeito. Bianchi retribuiu o agradecimento. “Agradeço todo o apoio que a prefeitura tem nos dado desde a concepção do projeto que tem 3 anos apenas, mas que tem dado um resultado considerável”, disse o proprietário do sítio.

A propriedade que pertenceu a família Janduzzo, foi adquirido pelos novos investidores, que vieram da cidade de Ribeirão Preto. Com o projeto de turismo pedagógico em andamento, o Sítio Santa Ângela gera atualmente12 empregos diretos e cerca de 15 indiretos. Com sua expansão, certamente será um dos grandes investimentos privados no turismo de Santa Rita, trazendo cada vez mais benefícios ao município. “Turismo forte, é turismo com investimento também do setor privado”, conclui o prefeito.