Pensando Bem: Culpas e Desculpas - Parte 2


Qualquer pessoa sensata, há de admitir que há algo errado com a humanidade. Pessoas más as vezes, fazem coisas boas e pessoas boas, as vezes, fazem coisas más. Por quê? Exemplo: você tem pensamentos nobres pela manhã. Acorda decidido a fazer o bem e dar sua contribuição para melhorar a vida de alguém.

Mas à tarde encontra-se com determinado desafeto, discute, diz absurdos e sentindo-se derrotado na discussão, chega em casa e descarrega sua frustração em quem aparecer pela frente. Por quê? Pior:tenta justificar grosserias e se desculpar, ignorando os sentimentos de quem acabou de ferir.

Esta ambiguidade foi identificada por Paulo, o Apóstolo, falando sobre si mesmo: “Eu não entendo o que faço, pois não faço o que gostaria de fazer. Pelo contrário, faço justamente aquilo que odeio... Pois eu sei que aquilo que é bom não vive em mim, isto é, na minha natureza humana. Porque, mesmo tendo dentro de mim a vontade de fazer o bem, eu não consigo fazê-lo. 

Pois não faço o bem que quero, mas justamente o mal que não quero fazer é que eu faço. (Rm 7:15,18,19) . A isso, a Biblia dá o nome de “pecado”, no grego: “hamartia”, errar o alvo. Imagine um arqueiro. Ele coloca sua flecha e estende o arco. Seus olhos estão fixos no alvo, alguns metros à sua frente. 

Ele solta a flecha que voa na direção do alvo, mas ele falha.É exatamente isso que a natureza humana produz: erro. Planejamos dizer toda verdade, mas acabamos mentindo.Juramos fidelidade e traímos a aliança feita. Assinamos acordos, contratos, termos de compromisso para então quebrá-los. Somos humanos. Somos pecadores.

Foi exatamente por isso que Deus estabeleceu um plano. Ele vem sendo anunciado desde que o primeiro casal errou o alvo. Poucos se apercebem disso, pois essa verdade fica restrita às páginas de um livro que nossa“evoluída sociedade” considera “ultrapassado”. No entanto, mais de 3 milhões de downloads de Bíblias foram feitos no Brasil, em 2017. 

No total foram distribuídas 221.832.399 de Bíblias, entre publicações impressas e digitais, segundo a Sociedade Bíblica do Brasil. Isso significa que há uma“fome” pelas palavras de Deus. Há um anseio que as produções cinematográficas e os youtubers não conseguem saciar. 

Neste livro encontra-se revelado o mistério do amor de Deus aos pecadores. A implacável misericórdia de Deus em favor de pessoas errantes como nós. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). 

Esse amor é qualificado“de tal maneira”, ou seja, de forma extraordinária, sobrenatural. Um amor sem limites, que não é encontrado entre os mortais. Amor que “não leva em conta os tempos daignorância, agora, porém, notifica aos homens que todos,em toda parte, se arrependam” (Atos 17:30). 

Sim, uma amor que nos alcança na condição em que nos encontramos: “Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores’ (Romanos 5:8) .

Nem todos experimentam o amor de Deus. Tem dúvidas, receios, conceitos errados sobre Deus. Outro dia perguntei a uma pessoa o que ela pensava em ter um encontro com Deus e ela ficou brava, achando que estava sugerindo a ela o suicídio! Pode? Muitos pensam que só poderemos ter um “encontro com Deus” após a morte. Mas daí será tarde demais! 

“Cada pessoa tem de morrer uma vez só e depois ser julgada por Deus” (Hebreus 9:27) . Esse julgamento é justo, como Deus é justo. Ele nos julgará segundo nossas obras, as boas e as más. Partir deste mundo sem salvação, não nos dará a mínima chance de absolvição. Por isso precisamos de um Salvador. 

E isso fez Jesus, sofrendo, em nosso lugar, a condenação que nossos pecados merecem. Quem faz de Jesus seu únicoe suficiente Salvador e Senhor, após sua morte, receberá a absolvição promovida por Cristo: “—Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem ouve as minhas palavras e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não será julgado, mas já passou da morte para a vida” (João 5:24).

Como posso fazer de Jesus meu Salvador e Senhor? Posso ter a certeza da absolvição de meus pecados ainda em vida? Como é possível partir desta pra melhor? O que mais a Bíblia diz?

(Continua na próxima semana)