Atleta santarritense vence Sul-Americano de Powerlifting


O atleta santarritense, Alex Laguna, conquistou o 1o lugar no último Campeonato Sul-Americano de Powerlifting Raw da Federação o GPC, realizado entre os dias 22 e 25 de novembro, na cidade de Itanhaém, São Paulo.

Disputando a categoria Open (até 56kg), Laguna estabeleceu novos recordes com o levantamento de 160kg no Agachamento, 112,5 kg no Supino e 202,5kg no Levantamento Terra estabelecido como um novo recorde mundial para a categoria. No total 475kg e a 2a melhor colocação no coeficiente.

O atleta de 25 anos disputa as modalidades do Powerlifiting desde 2015, e corriqueiramente transita entre os melhores do País. Federado a GPC (Global Powerlifting Committe), desde 2016 e a IPF (International Powerlifting Federation) - a maior instituição no mundo, em 2018.

Em março deste ano conquistou o 1o lugar no Campeonato Paulista de Powerlifting RAW (sem equipamento), na cidade São Vicente (SP). Laguna disputou na categoria Open/56 kg e levantou 150 kg, no agachamento, 107,5, no supino e 185,5kg no levantamento terra, totalizando o recorde para a categoria de 443 kg. Pela IPF esteve em Paulínia no mês de setembro, onde disputou na categoria open e estreantes (até 59kg). Foram 152.5kg de agacho, 115kg de supino e 192.5 de levantamento terra.

Natural de Santa Rita do Passa Quatro, o atleta treina na Academia Scalla, sob o comando do Professor João Ribeiro e supervisionado por Eder Zorzi, pelo menos, duas horas todos os dias. Os treinos tem foco no ganho de força, entretanto, o instrutor investe também em técnicas para melhorar o desempenho do atleta e evitar o risco de lesões. “Meu treino é quase 100% focado em ganho de força, mas técnica e ganho de massa muscular são essenciais. Treino bastante para que eu possa ter o máximo de rendimento e evolução durante as provas”, conta Laguna.

Alex Laguna é um apaixonado por esportes e já praticou artes marciais como Judô, Karatê e Kick-boxing. Mas foi no Powerlifting que se encontrou, até o momento foram 27 vitórias - 2 pratas, 3 bronzes e 22 primeiras colocações. “Esta modalidade me ensinou a ser psicologicamente resistente, paciente, não desistir enquanto eu tiver força e me levou a um patamar de coisas que antes imaginava ser impossível de fazer, disciplina e paciência principalmente”, revela.