Delegado Responde - Cadáver encontrado e prisão de estuprador


JORNAL O SANTARRITENSE – Dr. Domingos, essa semana, nas margens da vicinal que liga Santa Rita a Tambaú, mais precisamente nas terras do Sítio Acalanto, localizado próximo à rotatória da Estrada da Cana, foi localizado o cadáver de um homem. Como o fato foi registrado pela Polícia Civil, a vítima foi identificada e quais as providências que estão sendo tomadas?

DR. DOMINGOS ANTONIO DE MATTOS – Na manhã de quarta-feira, dia 17, fomos acionados para comparecer em terras do Sítio Acalanto onde, debaixo de uma árvore grande, nas margens do acostamento da vicinal Santa Rita/ Tambaú, teria sido localizado um cadáver do sexo masculino.

Imediatamente, na companhia do investigador Brizano, me desloquei até o local onde constatei a existência do cadáver, em decúbito ventral, sob a copa de uma grande árvore. Não foi observado nenhum tipo de ferimento no corpo da vítima ou mesmo sinais de que tivesse ocorrido algum tipo de luta no local. 

Ao lado do corpo estavam 11 recipientes, 10 deles cheios e um vazio, da substância venenosa vulgarmente conhecida como “chumbinho”, bem como uma garrafa de água totalmente consumida e uma sacola plástica com inúmeros remédios. Os documentos da vítima estavam em seu bolso, o que possibilitou sua rápida identificação, bem como comunicação de pessoa de seu relacionamento que compareceu na Delegacia e efetuou o reconhecimento do cadáver. 

Nos galhos da árvore citada havia um cabo de aço, com aproximadamente 3 mm de espessura, moldado em formato de um laço. Em conversa com trabalhadores que estavam nas proximidades, no início da noite de terça-feira, dia 16, os mesmos disseram que a vítima passou caminhando por eles, sozinho, sentido Tambaú, trajando a mesma roupa e carregando uma sacola plástica. 

Pela dinâmica observada no local e elementos de provas colhidos, concluímos que a vítima se dirigiu até o local com a intenção de se suicidar e para tanto levou o veneno e o cabo de aço que preparou para enforcamento. Possivelmente tomou o veneno com a água existente na garrafa encontrada e, em virtude do efeito rápido, não deu tempo da vítima se enforcar no laço que preparou com o cabo de aço. 

Ainda durante diligências, foi verificado que a vítima havia deixado uma carta de despedida em sua casa dizendo que iria embora, não mencionando a ideia de suicídio. Em virtude desses fatos determinei o registro como Suicídio, acionando IC e IML para os exames periciais necessários e que deverão instruir o competente inquérito policial.

J.O.S. – Essa semana a Polícia Civil prendeu um estuprador. Quando o fato ocorreu? O Doutor pode falar algo sobre essa prisão?

DR. DOMINGOS – Em julho de 2018 uma senhora procurou a Delegacia de Polícia de Porto Ferreira narrando que havia sido estuprada pelo seu filho, isso no interior de sua casa situado no município de Santa Rita. Segundo versão da vítima, quando estava no banheiro tomando banho, o autor conseguiu abrir a porta que estava trancada e adentrar no local, passando a agarrá-la e a empurrá-la, fazendo com que caísse no chão. 

Ato contínuo o autor retirou sua própria roupa no intuito de violentar a vítima, sempre a ameaçando para que não gritasse, pois se o fizesse iria matá-la. Durante aproximadamente 40 minutos o autor praticou atos libidinosos com sua mãe, vitima nos autos, sendo que ao sair do banheiro ainda a empurrou para debaixo do chuveiro mandando que terminasse o banho. 

Não contente o autor, no intuito de ameaçar e constranger a vítima passou a manusear uma arma de fogo, fazendo com que ela fugisse para outra cidade. O boletim de ocorrência elaborado em Porto Ferreira chegou ao meu conhecimento, tendo então determinado a imediata instauração de inquérito policial para apuração dos fatos.

Ao final do procedimento, convencido da existência do crime e de provas quanto à autoria, representei ao Poder Judiciário pela decretação da Prisão Preventiva do autor, o que foi concedido e o Mandado cumprido no último dia 16 de outubro pelos Policiais Civis de nossa cidade. Agora o autor de tão bárbaro crime irá aguardar julgamento na Penitenciaria de Araraquara.