Delegado Responde - Assalto na Usina: O que é verdade e o que é mentira


JORNAL O SANTARRITENSE – Dr. Domingos, na noite do último domingo, dia 26, a Usina Santa Rita foi assaltada por inúmeros meliantes. O caso teve muita repercussão e inúmeras versões, algumas acreditamos fantasiosas, circularam nas redes sociais. O Doutor acompanhou a ocorrência desde o início e é a melhor pessoa para esclarecer aos nossos leitores e seguidores o que realmente aconteceu.

DR. DOMINGOS ANTONIO DE MATTOS – Sim, na noite do dia 26 p.p., por volta de 23:30hs, aproximadamente 5 homens, todos armados, encapuzados e com luvas, adentraram na Usina Santa Rita, mais precisamente na área da Agro, onde renderam algunsfuncionários que estavam de plantão na oficina, borracharia e elétrica. 

Concomitante a essa ação, outros 5 homens, também armados, encapuzados e com luvas, renderam o vigilante da portaria da Agro. Ressalte que todos meliantes chegaram ao local da invasão a pé e utilizando caminhos existentes na mata, enquanto os veículos deles permaneceram ocultos no canavial existente nas proximidades. 

Todos os funcionários rendidos foram algemados com fita de nylon (popular enforca gato) e trancados em um cômodo da oficinaelétrica, permanecendo apenas o vigilante da portaria da agro, acompanhado de um dos ladrões o que permitiu que alguns motoristas e funcionários que chegaram fossem rendidos e encaminhados para o cativeiro. 

Nessa altura alguns vigilantes já estavam rendidos e suas armas e coletes subtraídos. Desde o início os meliantes anunciaram que estavam no local para subtração de defensivos agrícolas, não agredindo fisicamente as vítimas e aparentando muita calma e determinação quanto ao objetivo. 

Os meliantes ficaram no local por aproximadamente 02 hs aguardando o vigilante que estava em ronda e que possuía a senha para desativar o alarme do local onde estava guardado o defensivo agrícola, sendo que no momento de sua chegada ele também foi rendido e obrigado a digitar e desativá-la para permitir a abertura das portas, as quais foram arrombadas. 

Inicialmente os meliantes começaram a carregar defensivos no caminhão “oficina” da usina, tendo parado quando chegou o da quadrilha – um Mercedes Benz, carroceria baú, o qual foi carregado com referido produto e alguns poucos pneus. Alguns funcionários que estavam no cativeiro foram obrigados a auxiliar no carregamento desse caminhão que saiu do local por volta de 03h30m tomando rumo ignorado. 

Após algum tempo do carregamento ser finalizado osfuncionários foram trancados no interior do almoxarifado e orientados a permanecerem no local por aproximadamente 30 minutos antes de saírem e acionarem os órgãos policiais. Quando foram trancados no almoxarifado, as vítimas foram autorizadas pelos meliantes a cortarem as fitas de nylon utilizadas para que fossem algemados.

J.O.S. – É verdade que algumas visitas que estavam na Casa Grande também foram rendidas e tiveram todos seus pertences subtraídos?
DR. DOMINGOS – Enquanto um grupo realizava o carregamento do caminhão, com a ajuda de funcionários, alguns meliantes se dirigiram até a guarita existente na entrada da área onde está situada a Casa Grande e, após renderem dois vigilantes, tiveram acesso ao local onde estavam alguns visitantes, oriundos da Suíça, as quais foram rendidos mais nada deles foi subtraído. 

Os meliantes foram até o local na busca de cofre e suposto armamento, não alcançando o intento. Importante esclarecer que os celulares desses vi-sitantes, dos vigilantes e alguns funcionários foram confiscados pelos meliantes e depois abandonados ocultos na propriedade. O caminhão “oficina” que havia sido carregado com alguns defensivos também seguiu pelo caminho de entrada da casa grande e acabou sendo nela abandonado, possivelmente pela dificuldade de manobra para retorno e transcurso do tempo previsto pelos meliantes para fugirem do local.

J.O.S. – Os ladrões estavam fortemente armados?

DR. DOMINGOS – Segundo relato das vítimas, os meliantes estavam em aproximadamente 12 pessoas, todas armadas com pelo menos dois fuzis, algumas espingardas, revolveres e pistolas.

J.O.S. – O que foi subtraído?

DR. DOMINGOS – Apenas defensivos agrícolas, as armas e coletes dos vigilantes. Acho interessante esclarecer que armas e coletes

subtraídos estavam devidamente regularizados junto a Polícia Federal.
J.O.S. – Procede à informação que foram subtraídos dois carros e um caminhão?DR. DOMINGOS – Não. Na realidade os meliantes se utilizaram de dois veículos VW/

Gol, de propriedade da Usina e por eles utilizados para se deslocarem no interior da mesma durante a ação, apenas para saírem
do local e alcançarem seus veículos
que estavam ocultos no canavial

existente há aproximadamente 300 metros da entrada, onde foram aban- donados. No interior de um desses VW/Gol foi apreendido um revólver, calibre 38, numeração raspada, pertencente a quadrilha. Quanto ao caminhão da Usina, como já foi dito, ele foi abandonado no caminho que leva da guarita até a Casa Grande, inclusive carregado com parte dos defensivos agrícolas subtraídos.

J.O.S. – A Polícia tem alguma informação sobre a quadrilha?

DR. DOMINGOS – Durante essa semana exaltivas diligências foram realizadas pela nossa equipe de policiais, inclusive com o uso de helicóptero, para levantamento de informações tendentes a iden-tificação dos meliantes e eventualapreensão do produto subtraído. Não podemos revelar detalhes para não atrapalhar as investigações, as quais estão bem encaminhadas, apenas adiantando que se trata de uma quadrilha especializada nesse tipo de ação e que já cometeu alguns delitos na região.