ZPP Meio Ambiente: Com pranchas de surfe, voluntários recolhem plástico nos canais de Bangcoc


Em cima de uma prancha de surfe, os voluntários da ONG Trash Hero Bangcoc coletam embalagens de plástico lançadas em um canal nos arredores da capital da Tailândia.

Usando uma vara de cerca de dois metros de comprimento com um pequeno gancho, seis voluntários conseguiram em apenas 20 minutos de trabalho retirar mais de 8kg de lixo das águas.

"Nosso objetivo principal é conscientizar as comunidades (sobre o uso de materiais descartáveis) e divulgar a mensagem contra a poluição, especialmente pelo uso do plástico", declarou à Agência Efe o espanhol Albert Font, porta-voz do grupo, após uma operação de limpeza no canal Klong Suan.

Font, de 26 anos e nascido na cidade de Reus, na Catalunha, chegou à capital tailandesa há poucos meses para trabalhar com uma empresa esportiva que colabora com doações para a associação ecologista e se uniu a ela como parte do exército de voluntários.

"Durante uma campanha de limpeza em um canal da avenida Rama 9 em meados de julho, vários moradores da região, entre eles um moto taxista, nos ajudaram. Esse é um bom exemplo para explicar nosso objetivo de unir a população contra o plástico", disse Font.

A associação em questão é um dos braços da matriz Trash Hero World, ONG criada em 2013 pelo suíço Roman Peter e idealizada enquanto viajava pelo Sudeste Asiático.

Durante seu percurso, Peter encontrou uma ilha desabita- da do sul da Tailândia com o litoral repleto de lixo. "Ninguém vivia lá, não havia turistas, e mesmo assim estava cheia de quilos de lixo", contou o porta-voz da filial tailandesa.

Após fundar a organização, a primeira missão de Peter foi retornar àquela ilha e limpá-la. Atualmente, a Trash Hero conta com grupos em mais de 20 cidades tailandesas e em países vizinhos, como Indonésia, Mianmar e Malásia.

Além de projetos de limpeza, a Trash Hero Bangcoc também organiza conversas aulas em colégios da capital e outras medidas destinadas a proteger o entorno. "As crianças entendem rápido o problema e reagem de uma maneira positiva" na busca de soluções, apontou o ecologista.

Um dos projetos em andamento é a distribuição de um livro, escrito e ilustrado por voluntários, que narra a história de um garoto que gosta dos animais e as ações que toma para preservar o meio ambiente, "com o objetivo de incentivar os menores a realizar ações para salvar o planeta".

"Cerca de 90% do lixo que recuperamos dos canais e praias é plástico: bolsas, recipientes de comida e canudos", disse Font, que trabalha como gerente em sustentabilidade meio ambiental e é cofundador de projeto "Good Carma", que também realiza campanhas a favor da sustentabilidade.

O ecologista pede aos governos e comércios que tomem medida diante desta epidemia que afeta todos os países e, como no caso da Tailândia, uma melhoria no sistema de tratamentos de lixos e reciclagem.

China, Filipinas, Indonésia, Tailândia e Vietnã lançam mais da metade do plástico que polui os oceanos.

"O problema é enorme e não podemos lutar sozinhos, precisamos da ajuda de todo o mundo", disse a norueguesa Celina Aas Tennessen, membro do grupo, fazendo um apelo para que mais voluntários se unam à causa, seja diretamente ou chamando atenção pelas redes sociais.

"Foi divertido e uma grande experiência", afirmou o espanhol Ismael Morales, formado em biologia e voluntário na campanha de limpeza do canal Klong Suan.

"A natureza e o meio ambiente são muito importantes para nós. Temos que tomar conta deles e às vezes evitar utilizar materiais como o plástico, muito convenientes, mas prejudiciais para o planeta", ressaltou.

Fonte: G1