Pessoas que tem cachorros podem viver mais tempo, diz estudo


Quem tem um cachorro costuma dizer que ele é a alegria da casa, o maior companheiro e o amor mais puro. Para complementar esse leque de qualidades, criar esse bichinho ainda pode te adicionar uns bons anos de vida, sabia?

A conclusão é de um novo estudo da Universidade de Uppsala, na Suécia, divulgado pela revista científica Nature,realizado com 3,4 milhões de pessoas entre 40 e 80 anos de idade, sem problemas cardiovasculares. Os pesquisadores analisaram e compararam o estilo de vida, estado civil, renda e hábitos de saúde entre pessoas que cuidam de um cachorro e que não têm nenhum bichinho.

Os números “Os resultados mostraram que os donos de um único cão têm uma redução de 33% no risco de morte e de 11% no risco de infarto do miocárdio durante o acompanhamento, comparados aos não proprietários individuais”, explicou Mwenya Mubanga, principal professora do estudo e doutoranda do Departamento de Ciências Médicas e do Laboratório da Ciência para a Vida da Uppsala University.

O que acontece é que, ao ter um cachorro, você automaticamente passa a ter uma vida mais ativa, pelo simples fato de ter que passear diariamente com ele. “Sabemos que os donos de cães em geral têm um nível mais alto de atividade física, o que poderia ser uma explicação para os resultados observados”, faz mais feliz e declarou Tove Fall, líder da pesquisa e epidemiologista da Universidade de Uppsala. Se forem cães de caça como terriers, retrievers e sabujos (scent hounds), que precisam de mais exercícios ainda, a atividade promete ser mais intensa.

Fall ainda tem mais um palpite para essa vida mais longa: “outras explicações incluem um aumento no bem-estar e contatos sociais, ou efeitos do cão no microbioma bacteriano do dono”. Em resumo, além de te fazer bem emocionalmente, ele reforça sua imunidade pelo contato com as bactérias dele.

É só ter um cachorro e tudo se resolve? Não. “Também pode haver diferenças entre proprietários e não proprietários já antes de comprar um cachorro, o que pode ter influenciado nossos resultados, como as pessoas que escolhem obter um cachorro com tendências a serem mais ativas e terem uma melhor saúde”, ressaltou Tove.”

Fonte: daquidali.com.br