Cidade

[Cidade][bsummary]

Cultura

[Cultura][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Tecnologia

[Tecnologia][twocolumns]

Delegado Responde: Operação da Polícia Civil e homicídio na cidade


JORNAL O SANTARRITENSE – Na sexta-feira, dia 15, após o fechamento de nossa edição, em prosseguimento das diligências realizadas pela Polícia Civil houve a prisão demais um traficante que estava agindo em Santa Rita do Passa Quatro e que não houve tempo hábil para divulgação. O Doutor poderia fornecer dados de referida ocorrência?

DR. DOMINGOS ANTÔNIO DE MATTOS – Como foi dito na matéria anterior, durante a semana passada a Polícia Civil realizou operação tendente à prisão de pessoas envolvidas com o tráfico de drogas e outros ilícitos, no desenrolar da mesma, mais precisamente no dia 15 de junho p.p., por volta de 09h30m, durante cumprimento de Mandado de Busca e Apreensão, investigadores e escrivães vistoriaram imóvel situado na Rua Antonio Tacon, Vila Kennedy, nesta cidade, onde localizaram 02 tabletes da erva vulgarmente conhecida como maconha, com peso bruto aproximado de 69 grs, uma balança de precisão, documentos de usuários, anotações com a movimentação do tráficoe o celular do suspeito, onde foi constatada a existência de mensagens também relacionadas a traficância. 

Embora a quantidade de substância apreendida não seja expressiva, as demais circunstâncias do crime permitiram ao Delegado formar sua convicção de que o suspeito realmente estava traficando substância entorpecente no local, razão pela qual foi capturado e autuado em flagrante. Apresentado em audiência de custódia o suspeito teve o auto flagrancial transformado em prisão preventiva e foi recolhido na Penitenciária de Araraquara onde deverá aguardar seu julgamento. Ressalte-se que o suspeito já havia sido preso e cumpriu pena por tráfico de drogas, tendo obtido liberdadehá cerca de 5 anos, voltando a reincidir no crime.

J.O.S. – Essa semana tivemos a notícia de mais um homicídio em Santa Rita do Passa Quatro, essa informação procede?

DR. DOMINGOS – Infelizmente sim. Desta feita, na tarde do dia 09 de junho p.p., no interior do CAIS-SR, mais precisamente em uma das moradias, duas pacientes iniciaram discussão que evoluiu para luta corporal. Durante a contenda uma das pacientes se utilizou de uma faca de cozinha para desferir um golpe contra sua desafeta, tendo o mesmo (golpe) a atingido na altura do abdômen, causando ferimento. Ato contínuo a agressora saiu do local anunciando que havia esfaqueado a vítima, a qual permaneceu sentada em uma cadeira aguardando o socorro. Atendida inicialmente na Santa Casa do município, face à gravidade das lesões, a vítima foi encaminhada para o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto onde, no dia 16 de junho p.p seu quadro evoluiu para óbito. A autora, com surto psicótico, permaneceu internada no Pronto Socorro municipal até o dia 10 de junho p.p. e depois foi transferida para o Hospital Santa Tereza de Ribeirão Preto, onde permanece internada na “Unidade de Agudos”.

J.O.S. – Dr. Domingos, por quê a autora não foi presa em flagrante?

DR. DOMINGOS – Objetivando a apuração dos fatos e suas circunstâncias determinei a instauração de inquérito policial podendo dizer, a princípio, que a prisão não ocorreu porque os órgãos policiais – Polícia Civil e Militar, por motivos ainda desconhecidos, não foram comunicados quando dos acontecimentos, somente chegando a notícia ao nosso conhecimento após alguns dias. Acredito que possa ter havido algum tipo de problema de comunicação, mais tudo deverá ser esclarecido no decorrer do referido procedimento criminal.

J.O.S. – O Doutor pretende pedir a prisão da autora?

DR. DOMINGOS – Segundo consta a autora não fugiu do local dos fatos, não possui antecedentes e atualmente está internada na unidade de agudos do Hospital Santa Tereza em Ribeirão Preto devido à crise psicótica. No momento, embora a autora não seja interditada, não vejo motivos para representar pela sua prisão o que poderá acontecer durante o desenrolar da investigação.