Cidade

[Cidade][bsummary]

Policial

[Policial][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Tecnologia

[Tecnologia][twocolumns]

Notícias da Estrela


FUTEBOL I - Infelizmente o time do Grêmio Estrelense parou as atividades neste ano. Uma pausa que causa tristeza, pois perdemos muito com a desativação de um time tradicional e histórico da Estrela. A nova geração de nativos do ano 2000 não mostrou muito interesse, pelo esporte de campo, o que afastou a juventude dos gramados do Estádio Júlio Gonçalves de Campos. Virou a era dos computadores e por fim dos celulares, roubando o espaço que era dedicado ao esporte, as caminhadas as descobertas da região, da natureza.

FUTEBOL II – Estamos aguardando para reavivar o futebol na Estrela, as atividades do FUTEBOL NOTA 10, como incentivo através de jogos amistosos, fazendo assim uma integração com nossos jovens e demais agremiações da região, como também trazendo a participação dos pais ao gramado.

FUTSAL – Teve início a pintura da quadra da Estrela e nesta semana deu uma passada pelo local o Vereador Kleber Borotto. Esteve também no local recuperando as traves um soldador, restaurando as estruturas metálicas. Resta a nós agora pedirmos a colaboração da garotada, enfim dos usuários para preservação deste nosso patrimônio.

CAMPEONATO DE FUTSAL – Já estamos esquematizando o campeonato que abrangerá, os jovens, os veteranos e as crianças, evento a ser realizado aqui na nossa quadra.

VÔLEI ADPATADO – Mais um evento que pretendo trazer para o nosso Distrito. Assim que tivermos os serviços da quadra terminados iniciaremos os preparativos para um amistoso, com Tambaú, Porto Ferreira, Santa Cruz das Palmeiras e quem sabe Àguas da Prata.

ROMARIA – Houve de quinta para sexta-feira Santa, a tradicional caminhada, Romaria, saindo de Porto Ferreira e arredores, rumo a Tambaú. A noite foi movimentada aqui na Estrela, com o pessoal a pé, de carro, moto, bicicleta, a cavalo, cada um arrumou um jeito de participar e percorrer mais de 30 km nesta missão de fé.

VISITAS – Santa Cruz da Estrela, mais uma vez recebeuvários visitantes, que já são figuras esperadas nos prolongados feriados. Cada dia mais e mais aumenta o contingente de novos visitantes. Por isto acho que a Prefeitura com seus órgãos de Cultura, Turismo e Esporte, deveriam voltar os olhos para o Distrito com mais carinho.

ATLETISMO – CENTRO OLÍMPICO – Temos aqui muitos jovens propícios a iniciarem a carreira de atletas, por isto peço um pouco de atenção e apoio a estas pessoas que poderão um dia levar a diversos eventos com louvor o nome de nossa cidade. Gostaria que houvesse um programa para acolher estes promissores atletas.

ACADEMIA AO AR LIVRE – Não sei mais como falar, ou como pedir. Triste ver nas cidades vizinhas academias espalhadas e nos aqui há anos solicitando sem nada. Lembrar que estamos pedindo saúde, disposição e vida para a nossa comunidade. Vários Vereadores pediram... MAS...

REFLEXÃO: -  As vezes eu fico observando nossa cidade, eimaginando, quantas coisas lindas que ela tem, que povo sadio e culto, infelizmente espalhados, o que esconde a capacidade destes talentosos moradores.

Olho para a casa da Dona Dulce Rodrigues de Campos, um ícone de nossa cidade, e a mesma está ruindo.

Na outra esquina, vejo a casa dos Pistores, tradicional, ali num canto sendo observada mas não olhada como algo histórico. Na outra esquina a casa da Dona Dirce, filha do Zequinha de Abreu. Também em ruínas.

Em frente um paredão como alicerce, onde foi umas das casas mais bonitas da Estrela, onde moravam médicos, dentistas... O mato tomando conta.

Olho o povo e vejo já bem idoso, o Milton Campos, motorista da família do Zequinha de Abreu..., cuidando mesmo sem muito poder do gado. Acompanhado do irmão Aroldo Campos que tem muito para contar da nossa história, também ali sentado, na varanda, com pouca gente para prosear.

Passo na praça e vejo um dos antigos moradores, Sr. Alvim, Quim Correia, caminhando para não ficarem parados, sento na praça para ouvir o Nei Norato contando sobre os jogos, para o irmão Ciroca, olhando para casa do Elias Fernandes, onde tem o único campo de bocha, já parado.

Do outro lado da praça, tem algumas senhoras fazendo tricô, mais lá em baixo tem o Derlei nosso faz tudo, que nas horas de folga consegue esculpir em barro alguns animais, habilidade que também está se perdendo.

Mais acima tem a casa da Dulce Escobar também fechada como que abandonada. Na entrada da vila vejo o matadouro, o segundo da Estrela com a marca estampada 1950. Mais adiante no meio do eucaliptal, está ainda intacta a Àrvore da Noiva, uma outra história à ser contada, se seguir por uma trilha se passa pelo boi Atrapaiado, louco para comer pão, e se sai na Toca do Índio.

Bem vou dar uma pausa mas creiam tem BEM MAIS.

Vou aproveitar este tempo para ler um livro que recebi agora pouco vindo da Praça Artur Portela, Lisboa Portugal, mandado pelo poeta e ouvinte dos meus programas de Rádio, Daniel Costa.

ATÉ MAIS...