ZPP Meio Ambiente - A mulher e o meio ambiente


Homem não chora. E é preciso que não chore, já que é ele quem decide se a floresta tomba ou permanece em pé. Não expressar sentimentos é capital para quem toma decisões amparadas na ideologia do progresso a qualquer custo. Até porque não existe progresso sem custos. Mais ou menos assim: o ideal é que não se desmate, mas, se for preciso para gerar empregos, danem-se as árvores!.

Nos últimos 50 anos, a produção mundial de grãos triplicou. A quantidade de terras irrigadas duplicou. Os auto- móveis ultrapassaram os 500 milhões. O mesmo aconteceu aos televisores, geladeiras, chuveiros elétricos, lavadoras, secadoras, computadores, celulares, microondas, fax, aparelhos de DVDs, CDs, parabólicas, isopor, descartáveis, transgênicos e outras invenções. As riquezas produzidas quintuplicaram.

Mas, também neste período, o mundo perdeu 20% de suas terras férteis e 20% de suas florestas tropicais, com milhares de espécies ainda nem conhecidas. O gás carbô- nico aumentou 13%, destruiu-se 3% da camada de ozônio, toneladas de materiais radioativos foram despejados na atmosfera e nos solos, os desertos aumentaram, rios e lagos morreram por chuva ácida ou esgotos industriais. E o mundonão ficou mais rico, menos faminto nem menos doente.

Alguém deve mesmo ter conceitos brutos sobre o sucesso e o progresso. Afinal, que alma sensível validaria tal rapinagem?

A mulher, ao contrário, como tem permissão cultural para expressar sentimentos, tem mais compaixão. É mais intuitiva, pois pela linguagem lógica jamais se comunicaria com o filho que ainda não fala. Ela tem a função de cuidar.Cuidar de outro ser, outra vida que não é ela. Diante da competição, prefere investir na cooperação. São atribuições sociais que as deixam mais próximas aos apelos por paz, harmonia e equilíbrio ambiental.

Compaixão, intuição, cooperação e cuidado são elementos do pensar feminino. A Biologia nos mostra que nenhuma espécie conseguiu estabilizar-se sobre a Terra desprezando tais estratégias para com outras espécies. As que se utilizaram de meios diferentes não sobreviveram.

Em todas as civilizações, as deusas da Terra são mulheres. A Terra que tudo dá, que tudo provê, que sustenta,cria e supre as necessidades de tantos e diferentes filhos seus. Esta Terra é mulher. Talvez não por acaso.

No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, comemoremos com muita esperança. As coisas também não mudam por acaso.

Autor: Luiz Eduardo Cheida, secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná. Fonte: Gazeta do Povo.