Cidade

[Cidade][bsummary]

Policial

[Policial][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Tecnologia

[Tecnologia][twocolumns]

Dengue: Com um caso confirmado em Santa Rita, alto Índice de Breteau preocupa


Mesmo com apenas um caso de dengue confirmado, em sete notificações, desde 1o de janeiro de 2018, Santa Rita do Passa Quatro pode estar em alerta, sofrendo risco de surto da doença. O motivo é o alto Índice de Breteau (IB) registrado na cidade.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, do Departamento Municipal de Saúde, o número chega a 5,8. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os índices acima de 1 e até 3,9 são considerados como situação de alerta, já superiores a 4, são tidos como risco de surto.

O Índice de Breteau é o valor numérico que define a quantidade de insetos em fase de desenvolvimento encontrados nas habitações humanas pela quantidade de total vistoriada. No Brasil o IB é utilizado para a determinação de infestação do mosquito Aedes aegypti,t ransmissor da dengue, zika e chikungunya. “Estamos encontrando muitas larvas durante as visitas nas casas de Santa Rita”, disse o responsável pelo Controle de Vetores no município.

A orientação para a população é que neste período de chuvas os cuidados contra a dengue e a chikungunya devem ser redobrados, eliminando assim água parada nos quintais ou dentro das residências.

Qualquer recipiente que possa acumular água pode ser um possível criadouro do mosquito Aedes aegypti. É importante que alguns cuidados sejam tomados, como: lavar bebedouros de animais; não ter pratinhos em vasos de plantas; eliminar qualquer tipo de recipiente que acumule água.

Em 2017, Santa Rita registrou nove casos confirmados de dengue e outros sete casos de chikungunya, entre aproximadamente 250 notificações (suspeitas) no período.

Até anos atrás, a grande preocupação era a dengue, mas agora, de acordo como a Fundação Osvaldo Cruz, a chikungunya apresenta maior risco. Como o vírus ainda é recente nas cidades, poucas pessoas têm os anticorpos da doença, então, a população fica mais vulnerável. A doença provoca dor de cabeça, febre, dor muscular e nas articulações, náuseas, manchas avermelhadas na pele e até queda de cabelo e deixa sequelas podem durar por vários anos.