Policial

[Policial][bsummary]

Cultura

[Cultura][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Tecnologia

[Tecnologia][twocolumns]

Delegado Responde - Cigarros contrabandeados e prisão de envolvido no roubo do Posto


JORNAL O SANTARRITENSE – Dr. Domingos, essa semana Policiais Civis de Santa Rita do Passa Quatro efetuaram a apreensão de cigarros, possivelmente contrabandeados do Paraguai, bem como identificaram quemestava efetuando a venda. O Doutor pode comentar essa ocorrência?

DR. DOMINGOS ANTÔNIO DE MATTOS – A ocorrência mencionada teve início na tarde do dia 26 de fevereiro p.p., ocasião em que foi registrada na Delegacia de Polícia uma ocorrência de violência doméstica e, durante o atendimento da mesma, investigadores foram até o Estabelecimento Comercial do autor, situado no Jardim São Luiz, onde, durante a diligência, constataram a existência de cigarros da marca EIGHT, totalizando 78 maços. Indagado, o suspeito confessou que efetuava a venda do cigarro para garantir seu sustendo. Ato contínuo os investigadores foram com o suspeito até sua residência onde foram localizados 1050 maços de cigarros da marca EIGHT e 800 maços da marca TE. Após tomar conhecimento dos fatos, imediatamente mantive contato com a Polícia Federal de Araraquara, responsável para apuração dessa modalidade de crime, bem como determinei a apreensão do material e oitiva do suspeito. Formalizadas as peças, tudo foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Federal de Araraquara onde foi instaurado o inquérito policial e processo crime.

J.O.S. – No final da semana passada foi registrado mais um flagrante de embriaguez ao volante. No entanto que chamou a atenção foi à concentração de álcool constatada quando do exame do etilômetro. O Doutor foi quem atendeu referida ocorrência?

DR. DOMINGOS – Os fatos ocorreram no dia 23 p.p., por volta de 19h04m, na Rua Cel. Joaquim Victor de Souza Meirelles, altura do numeral 17, no Jardim São Vicente, nesta cidade de Santa Rita do Passa Quatro, ocasião em que o Condutor foi abordado em virtude de estar conduzindo um veículo VW/Gol em “zigue zague”. Convidado para realizar o teste do etilômetro, ele aceitou e o laudo apontou 1,62 mg de álcool por litro de ar alveolar expelido de seus pulmões, razão pela qual recebeu voz de prisão e, em virtude do horário, foi apresentado na Central de Polícia Judiciária de Porto Ferreira, onde o Delegado de Plantão determinou a elaboração do Auto de Prisão. O resultado do teste chamou a atenção pela concentração de álcool apresentada, pois segundo nossa legislação é considerado embriagado o motorista que apresente resultado no Bafômetro de 0,34 mg de álcool por litro de ar alveolar expelido, tendo o autor apresentado 5 (cinco) vezes mais que o mínimo previsto.

J.O.S. – Nesse caso foi arbitrada fiança?

DR. DOMINGOS – A fiança não foi arbitrada em virtude do elemento ser reincidente na pratica dessa infração, tendo sido autuado nos anos de 2014 e 2017 pelo mesmo crime de embriaguez ao volante. No prazo legal foi apresentado para audiência de custódia e a prisão em flagrante foi convertida em preventiva, estando o autor recolhido no Centro de Detenção Provisória de Araraquara.

J.O.S. – Policiais Civis também prenderam, nesta semana, o segundo elemento que estaria envolvido no roubo praticado contra o Auto Posto 2 Avenidas. Isso procede?

DR. DOMINGOS – Durante o inquérito policial que apurou o roubo ocorrido no Posto 2 Avenidas foram carreados para o bojo dos autos elementos probatórios que permitiram concluir a participação de um segundo elemento, o qual foi devidamente identificado e qualificado. Na posse dessas informações representei ao Poder Judiciário pela decretação de sua Prisão Preventiva, tendo o pedido sido recebido e o Mandado expedido no dia 23 p.p.. A partir de então os investigadores passaram a efetuar diligências que culminaram, no dia 28 p.p., com a prisão do suspeito que foi recolhido no CDP de Araraquara onde deverá permanecer à disposição da Justiça. Referida prisão foi muito importante porque retirou da sociedade elemento perigoso que praticava seus delitos mediante ameaça e violência física.

J.O.S. – Tivemos também a notícia sobre o combate do crime de venda de bebida alcoólica à menores de 18 anos. O que o Senhor poderia comentar a respeito?

DR. DOMINGOS – Estamos com Inquéritos Policiais instaurados para a verificação de tais fatos, bem como outros boletins de ocorrência foram registrados e se encontram em fase de investigação preliminar. Em regra, donos de bares desta cidade não estão se atendo à Lei, comercializando bebidas alcoólicas para menores de idade. Os fatos são devidamente apurados pela Polícia Civil, podendo tais comerciantes sofrer responsabilizações penal, civil e administrativa, inclusive, com a lacração de seu estabelecimento comercial e a proibição do exercício de suas atividades.