Cidade

[Cidade][bsummary]

Policial

[Policial][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Tecnologia

[Tecnologia][twocolumns]

Delegado Responde - Ocorrências de tráfico de drogas



JORNAL O SANTARRITENSE - Dr. Domingos, nessa semana, chegou a nossa redação informações de várias ocorrências registradas no Plantão de Porto Ferreira, durante o feriado prolongado, ocorridas em Santa Rita. Poderia falar sobre tais fatos?

DR. DOMINGOS ANTÔNIO DE MATTOS - Durante o último feriado prolongado, no Plantão Policial de Porto Ferreira, vemos o registro de quatro ocorrências pertencentes a nossa circunscrição, sendo duas de tráfico de drogas, uma de lesão corporal praticada contra a mulher e uma de embriaguez ao volante.

J.O.S. - O senhor poderia falar sobre as ocorrências de tráfico de drogas?
DR. DOMINGOS - A primeira ocorrência foi registrada no dia 02/11/17, ocasião em que Policiais Militares faziam patrulhamento e, nas proximidades de local conhecido como ponto de vendas de drogas, avistaram um suspeito, o qual estava abaixado e mexendo em um muro. De pronto este indivíduo foi abordado e com ele encontrados dois “eppendorfs” de cocaína e R$ 127,00 (cento e vinte e sete reais) em notas de diversos valores. Na continuidade das diligências foram encontrados no local onde referida pessoa estava mexendo, mais 15 “eppendorfs” de cocaína, além de 18 pedras de crack. Em sua defesa o autor alegou que apenas os dois eppendorfs eram de sua propriedade, declinando-se viciado, desconhecendo a origem dos demais apreendidos pelos milicianos. Apresentada a ocorrência à Autoridade Policial plantonista, esta raticou a voz de prisão dada, lavrando o competente auto de prisão por tráfico de entorpecentes.

J.O.S. - E quanto à segunda ocorrência de tráfico?
DR. DOMINGOS - No dia 03/11/2017 Policiais Militares de Porto Ferreira receberam denúncia de que uma mulher que estaria vindo de Sumaré, utilizando-se de ônibus, com grande quantidade de drogas em uma mala. Quando chegaram na rodoviária daquela cidade o ônibus já havia saído em direção a Santa Rita do Passa Quatro, o que motivou a continuidade da diligência e, nas proximidades da Rodoviária desta cidade, conseguiram localizar uma mulher com as características constantes da denúncia, a qual trazia consigo uma mala contendo grande quantidade de drogas. Segundo referida denúncia anônima a mulher, ao visitar seu marido que está preso na Penitenciária de Hortolândia, traria na volta drogas, as quais seriam entregues a um rapaz residente em Santa Rita. Durante a abordagem foi constatado que a mulher transportava, em sua mala, 1 (um) tijolo, de cocaína, com peso bruto aproximado de 1 kg; além de vários tijolos de “maconha”, os quais totalizaram mais de 10 Kg de referida droga. Ante esses fatos a mulher foi conduzida ao Plantão Policial de Porto Ferreira, onde foi autuada em flagrante delito e, em seu interrogatório, declinou a pessoa que seria o destinatário final desta droga.

J.O.S. - E, em relação a estes crimes, quais foram as providências adotadas?
DR. DOMINGOS - Nos dois registros do crime de tráfico de drogas, ambos foram apresentados ao Plantão Judiciário de Pirassununga, onde a prisão em agrante foi considerada dentro dos ditames legais, sendo efetuada a conversão destas em Prisão Preventiva. O rapaz foi removido à Penitenciária de Araraquara/SP e a mulher encaminhada à Penitenciária de Pirajuí/SP. Cabe salientar que, em relação ao indivíduo citado como sendo o destinatário da droga, investigações estão sendo realizadas para confirmar sua qualificação e veracidade da informação prestadas quando da prisão da pessoa que efetuava o transporte. A droga apreendida, devido a sua grande quantidade, após os exames de praxe, foi providenciada a sua incineração.

J.O.S. - E quanto as demais ocorrências registradas?
DR. DOMINGOS - Quanto à ocorrência de violência doméstica, a Polícia Militar desta cidade foi acionada para atender um chamado, onde estaria ocorrendo desentendimento entre casal. No local foram informados pela vítima que seu companheiro, o qual se encontrava muito alterado em seu comportamento, em razão de uso excessivo de bebida alcoólica, pulou o muro de sua casa e começou a lhe agredir. A vítima foi agredida, mas também revidou a agressão do autor dos fatos, sendo que, quando da chegada dos Policiais Militares, ambos se encontravam no local. A vítima e o autor foram submetidos à exame de corpo de delito na Santa Casa desta cidade e posteriormente apresentados no Plantão de Porto Ferreira. Lá, a Autoridade Policial lavrou auto de prisão em agrante e determinou o recolhimento do autor. Em sede de audiência de custódia, foi convertida a sua prisão em flagrante em preventiva, sendo então removido à Penitenciária de Araraquara/SP.

J.O.S. - Por fim, também foi registrada uma ocorrência sobre Embriaguez ao Volante. O que o senhor poderia falar sobre tais fatos?
DR. DOMINGOS - No domingo, dia 05/11/17, Policiais Militares efetuavam a Operação de Trânsito quando abordaram o autor e notaram que o mesmo, ao sair do veículo que conduzia, apresentava sinais picos de embriaguez, o que motivou o convite para que se submetesse ao teste do etilômetro. O resultado obtido foi a concentração de 0,6 miligramas de álcool por litro de ar alveolar, quando o máximo permitido na seara administrativa é de 0,3 mg/l. Em virtude desse resultado o condutor recebeu voz de prisão e foi conduzido ao Plantão Policial para a elaboração do auto de prisão em agrante. Neste caso, a ança foi arbitrada e exibida pelo autor dos fatos o qual, além das sanções administrativas e pecuniárias, também responderá por processo criminal.

J.O.S. - Essa semana também vemos notícia de uma reunião entre o Doutor Delegado, Comandante da Polícia Militar, Promotor de Justiça e Juíza de Direito. O Dr. poderia informar qual o tema tratado?
DR. DOMINGOS - Em Santa Rita do Passa Quatro as Polícias, Civil e Militar, Poder Judiciário e Ministério Público trabalham em harmonia na busca de soluções capazes de proporcionar melhorias nas condições de segurança da população. Nesta reunião foram tratados vários temas e entre eles o aumento de delitos praticados por adolescentes, os quais interpretam de maneira errada o E.C.A. e acabam acreditando na falsa ideia de que são impunes. O Estatuto da Criança e do Adolescente, ao contrário do que se pensa, também traz punições para adolescentes infratores, sendo que o entrosamento entre os órgãos responsáveis pela segurança é fundamental para se dar maior celeridade à aplicação dessas medidas.