Aprenda a fazer uma drenagem linfática no banho


Se você sofre com a retenção de líquido, sabe como é desagradável se sentir inchada. Algumas táticas podem ajudar, como beber muita água ou chás diuréticos, mas uma boa drenagem linfática pode eliminar esse excesso muito mais rápido, além de melhorar a circulação sanguínea no corpo. Pensando nisso, a esteticista e cosmetóloga Roseli Siqueira, te ensina a fazer os movimentos certos para se sentir leve de novo. A ideia, aqui, é fazer na hora do banho, lembrando que, ao executar os movimentos, a dica é manter o chuveiro desligado.

Preparando-se

Comece com um banho quente e aromático. “A água cai na cervical e já vai relaxando toda essa parte do pescoço, ajudando a desobstruir a linfa. Pegue uma meia velha de seda para fazer uma trouxinha. Preencha seu interior com ervas do seu gosto, mas sugiro capim santo ou erva-doce. Amarre no pescoço posicionada para a parte de trás. Ligue o chuveiro e a água quente, em contato com os ingredientes, se encarregará de liberar o aroma que te deixará mais relaxada. Deixe à mão um óleo essencial de sua preferência, para facilitar os movimentos na pele”, orienta a esteticista, que ainda recomenda: “o melhor horário para fazer é à noite, duas vezes por semana, com intervalo de dois dias, para já dormir relaxada”.

Foto: deeepblue/iStock

Comece pelo pescoço


“A massagem é uma autoanálise do corpo. Com as pontas dos dedos nas laterais do pescoço (onde ficam os gânglios), faça uma leve pressão e descompressão consecutivamente, para desbloquear a linfa (toxinas em excesso no sistema linfático), que será eliminada através da urina, diminuindo o inchaço”, explica Roseli.

Vá para os braços


A orientação da profissional é: “ponha o braço para cima e com as mãos já lubrificadas com o óleo essencial, segure no punho como um bracelete e venha descendo pela lateral até a axila, local em que fará levemente (caso contrário, obstrui o gânglio), por três vezes, a compressão e descompressão com a mão espalmada mas com os dedos fechados”.

Foto: Nobilior/iStock

Desça para as mamas


A especialista revela que nessa região, a drenagem é ótima para casos de displasia mamária, e nos períodos pré e menstrual. “De modo muito suave, ponha as duas mãos em volta do mamilo da primeira mama, e faça uma pressão indo (contornando por baixo) em direção às axilas. Lá, mais uma vez, por três vezes, realize a compressão e descompressão com a mão espalmada mas com os dedos fechados”.

Agora no baixo ventre


De acordo com Roseli, essa região do baixo ventre é muito tensa na mulher, e compromete a circulação e o bloqueio das linfas. “Ela localiza-se quatro dedos abaixo do umbigo. Para otimizar os resultados, faça uma massagem combinada com a respiração (inspire o ar bem forte, e ao expirar pressione com força a barriga). Posicione as mãos na área e faça a massagem alternando ponta dos dedos espalmados e palma da mão (abrindo e fechando, como se estivesse falando com as mãos), mas aqui, a pressão tem que ser mais forte. Três vezes são o suficiente, mas é preciso um bom empenho para poder sentir desbloquear mesmo. É preciso apertar e sentir que aliviou aquele pontinho”.

E claro, as pernas!


Roseli destaca que essa é uma das regiões que as mulheres mais sentem necessidade de drenar, por isso, para que essa etapa tenha o resultado esperado, ela não pode ser feita com você em pé. Sendo assim, finalize seu banho e, deitada em uma cama, levante a perna, e com as duas mãos na base do tornozelo, vá fazendo a pressão e descompressão em movimentos de ondinha subindo até a virilha. Nessa região, com a mão aberta e os dedos fechados, faça a pressão e descompressão três vezes.