Pensando Bem: Faça valer a Pena



Viver é muito mais que existir. Disso ninguém duvida, mas conseguem viver e gostar da vida.

Para alguns, viver é sofrer. O dia se arrasta em obrigações, cobranças e dificuldades de todo o tipo.

Para outros a vida se resume em curtir prazeres. Beber com amigos, jogar conversa fora, aproveitando cada oportunidade para descontrair. Não perdem eventos onde há muita música, comida boa e diversão.

Outros resumem sua existência aos livros. Devoram prateleiras, cultuam o saber, colecionam tulos acadêmicos, e sua sede de conhecimento parece não ter fim. Vivem para estudar, aprimorar-se, especializar-se ao máximo. Para tais, crescimento pessoal é tudo.

Há quem viva a procura de um grande amor. Tudo o que pensam e fazem tem como finalidade descobrir sua “cara-metade”. Vão a eventos especí cos. Gastam horas diante do computador, em sites de busca, procurando a pessoa de seus sonhos.

Temos também os que vivem para trabalhar. Admiram-se por isso. Sabem ganhar dinheiro e se entregam, sem reservas, ao competitivo mercado de trabalho. Mesmo estando à beira de um ataque de nervos, conseguem tirar fôlego para uma horinha a mais no serviço.

Há quem viva em função dos filhos, anulando-se a si mesmo para realizar-se exatamente nos lhos. Resultado: a educação é falha. Os filhos cam mimados, dependentes, inseguros e infelizes.

Pensando bem: estão fazendo a vida valer a pena?

A vida é bela.

Acredito que viver não é sofrer. A vida é uma oportunidade de fazer diferença, de fazer valer a pena, de se realizar.

Há prazeres na vida, mas viver em função deles é insensatez.

Estudar e crescer em conhecimento são ótimas práticas, mas jamais fazendo dos estudos um “deus”.

Encontrar o amor de sua vida é uma aventura fascinante, mas a procura deve ocorrer sem ansiedade acabando por meter os pés pelas mãos.

O trabalho enobrece o homem. Excesso de trabalho envelhece, estressa, e pode deteriorar relacionamentos.

Ter filhos e se doar a eles é maravilhoso sem, no entanto esquecer que devemos nos amar (amor próprio) para amar os lhos como necessitam.

Quem nos dará o equilíbrio necessário para uma vida que valha a pena? Quem nos proporcionará coragem para enfrentar o amanhã; equilíbrio para não se deixar dominar pelos prazeres; discernimento para não exceder no conhecimento; sensatez na procura da cara-metade; bom senso para não se deixar consumir pelo trabalho e amor próprio para então amar os lhos?

Ele fez valer a pena.

Pensando bem, você pode ter seus gurus, seus mantras, rezas, talismãs, mandingas, orixás, cristais, orais, imagens, símbolos, rituais, e tudo que a mul plicidade religiosa propor- ciona. Sugiro que vá além. Sim. Por que não um encontro com o Criador. Nós o chamamos de Deus, e ele se revelou enviando seu Filho ao mundo.

Entrou na história, viveu uma vida curta, mas cheia de significado. Valorizou as mulheres e as crianças, contradisse a cultura religiosa de sua época trazendo para perto de si gente de má fama; curou pessoas de diversas molés as, contestou as injus ças promovidas pelos líderes, pregou uma mensagem revolucionária e con rmou tudo que disse, entregando-se voluntariamente ao pior tipo de morte existente na época: a cruz. Sua vida foi vivida tão intensamente e seu amor tão forte, que nem mesmo a morte conseguiu evitar sua ressurreição. Jesus fez a vida valer a pena e quer te ensinar e viver e gostar da vida.

São dele as palavras: “eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10:10). Ele veio até nós. E você? Já foi até Ele?

Pense nisso