Pensando bem: Do desespero à esperança



Vivemos num mundo em constante transformação. Isso todo mundo sabe. O que não sabemos muito bem é lidar com tais transformações. Somos, por natureza, apegados a formas e rituais, a tão afamada “zona de conforto”. Poucos se atrevem a ousar, ir além, mudar e provocar mudanças. No geral as mudanças nos assustam, geram insegurança. Tornou-se lugar comum dizer: no meu tempo as coisas eram diferentes. Uma maneira educada de dizer: detesto as mudanças da modernidade.

A revolução tecnológica talvez seja a mais abrupta mudança já experimentada pelo ser humano. Nossas vidas estão sendo rápida e violentamente afetadas pelo mundo digital a ponto de, a cada três anos, precisarmos nos adaptar novamente. Isso tem gerado estresse, solidão e desespero. O que é desespero? É ausência de esperança: o sen mento que nos leva avante, nos impulsiona, nos carrega no colo e nos faz encarar a vida de frente aceitando o desa o da sobrevivência.

Quais mudanças têm ocorrido em sua vida? Separação? Desemprego? Perdas? Sejam quais forem, podem se tornar um impulso para novas realizações, novos horizontes, novas oportunidades. Tudo depende do seu alicerce, de sua base, dos fundamentos que te mantém vivo e com fé.

Quando em meio a vários problemas, sentir o chão se abrindo sob meus pés e a desesperança batendo à porta de meu coração. Ouvi então palavras que me deram ânimo para viver: “ - Pois Eu sou o Senhor, Eu não mudo. Por isso vocês ainda não foram totalmente destruídos, porque a minha misericórdia dura para sempre” (Malaquias 3:6 – Bíblia). Isso fez uma diferença enorme na minha vida. Tudo muda, mas Deus não. Se Deus não muda, quero fazer dele meu alicerce, minha base, meu fundamento para a vida.

Pensando bem, o desespero pode ser um santo remédio. Sim! Pode levar você a uma descoberta maravilhosa: que neste mundo caó co, há um lugar onde se apoiar. No mar revolto da vida há uma corda lançada nas águas, uma salva vidas por perto, um porto seguro onde atracar. “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança “Tiago 1:17). Deus não muda. Está sempre lá.

Seja qual for sua agonia, sua dor, sua tristeza, nunca se esqueça: Deus não muda. Jesus veio ao mundo de modo definitivo. Viveu a vida que todo ser humano deveria viver. Morreu de forma definitiva em nosso lugar. Ressuscitou dentre os mortos e definitivamente estabeleceu um elo seguro entre o Deus Santo

e o ser humano pecador. Pela fé nele, podemos ter acesso ao Pai das Luzes, que não muda e não sofre variações.

Hoje mesmo, com um simples passo de fé e a decisão de não entregar os pontos, mas ousar acreditar em Deus e buscar conhecê-lo, você pode fazer uma pequena mudança do desespero à esperança. Então vem.

Se este ar go teve algum significado para você, compartilhe com o autor: sergiomarcosmevec@gmail.com.