Conhece os veículos autônomos? A Ford levou alguns deles para passear em viagens de teste



A Ford promoveu o primeiro teste de carros totalmente autônomos para a imprensa, no seu centro de desenvolvimento do produto em Dearborn, nos Estrados Unidos. O evento é mais um passo do plano da empresa de iniciar a produção em escala de veículos autônomos – sem direção e pedais – em 2021 para uso comercial e em 2025 diretamente para o público.

A demonstração – que não pode ser chamada propriamente de test-drive, já que ninguém dirigiu – usou a frota de Ford Fusion autônomos equipados com sensores LiDAR para mapear o ambiente. Os jornalistas viajaram no banco de trás dos veículos, acompanhados por dois engenheiros que monitora- ram o percurso de algumas voltas dentro da sede da empresa, em velocidades de até 50 km/h.

O engenheiro sentado no banco do motorista não colocou as mãos no volante em nenhum momento, enquanto seu companheiro do lado do passageiro, com um laptop, coletava dados e imagens do roteiro. A primeira impressão do carro autônomo, segundo participantes, foi como andar com um aprendiz de direção: lento e cauteloso. Dentro de dois anos a Ford pretende ampliar essa experiência, colocando vans autônomas em circulação dentro da sua sede para transporte dos empregados.

Radar, sensores e câmeras
Os mapas são uma parte essencial para o funcionamento dos carros autônomos. A Ford utiliza um mapa básico com sinais e marcações da pista, ao qual se sobrepõe um segundo mapa que detecta alterações em tempo real. Ele foi projetado para funcionar como o olho e o cérebro humanos, com uma combinação de sensores.

O sistema da Ford baseia-se em três tipos principais de sensores – LiDAR, radares e câmeras – para reunir informações sobre o ambiente. O radar usa radiofrequência, enquanto o LiDAR emite feixes de laser para projetar uma visão de 360 graus em torno do carro. As câmeras funcionam como o olho humano e são consideradas mais passivas, para captar o que existe no local.

Investimento
A Ford começou a desenvolver a tecnologia de carros autônomos em 2005 e tem intensificado os investimentos para ser um líder nessa área. Um exemplo é o recente investimento anunciado na Velodyne, que produz os sensores LiDAR e está desenvolvendo uma versão menor e mais potente do equipamento, capaz de “ver” 200 metros à frente. O objetivo é também baratear o custo dos sensores com a produção em massa, usando a experiência da Ford nessa área.

Mark Fields, presidente mundial da Ford, afirmou que a intenção da empresa é tornar os veículos autônomos acessíveis para milhões de pessoas e não apenas para os que podem comprar carros de luxo. “Nós entendemos que os veículos autônomos terão um impacto tão signi cativo na sociedade quanto a linha de montagem da Ford teve mais de 100 anos atrás”, diz. “Quando paramos para analisar como podemos fazer uma grande diferença na vida das pessoas no próximo século, vemos os veículos autônomos mudando a maneira como o mundo se move, mais uma vez.”