Mais bairros recebem o mutirão contra o Aedes aegypti no dia 2 de abril



Vila Kennedy, Vila São Salvador, Bairro Jardim e Jardim São Vicente irão receber o próximo mutirão de limpeza em combate a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, febre chikungunya e zika vírus. Promovido pela equipe de Controle de Vetores, do Departamento Municipal de Saúde de Santa Rita do Passa Quatro, o mutirão irá acontecer no próximo dia 2 de abril, sábado.

Com apoio do Departamento de Meio Ambiente e Departamento de Serviços Municipais (DSM), o mutirão está progra- mado para começar a partir das 7 horas e o trabalho começa com orientação para que população colabore, separando todo material que não esteja sendo usando e que possa servir de criadouro para o mosquito, como latas, potes, garrafas, plásticos, pneus, vasos de plantas, vasos sanitários, lonas e etc, para que sejam recolhidos pela equipe.

Os moradores poderão deixar o material a ser descartado em frente das residências, para que as equipes possam recolher.

Este será o quarto mutirão promovido no município, 12 bairros e o distrito de Santa Cruz da Estrela já foram visitados pelas equipes e outros também receberão a ação programada para acontecer mensalmente. Os moradores das regiões de abrangências serão informados antecipadamente para que possam se preparar.

DENGUE
Santa Rita do Passa Quatro possui noves casos confirmados de dengue neste ano de 2016, de uma total de 103 noti cações de suspeita. Também foram colhidas amostras para teste de Zika Vírus em 30 pacientes que apresentaram sintomas. As amostras foram encaminhadas para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e não há previsão para a data do resultado.

O Departamento Municipal de Saúde está intensi cando as ações, que vão desde a orientação, até a realização de mutirões de limpeza nos bairros. Diariamente a Equipe de Controle de Vetores realiza ações como nebulização (aplicação de inseticida) para matar os mosquitos adultos, bloqueio de controle de criadouros, com a chamada busca ativa de locais onde o mosquito possa se reproduzir, e controle químico, com uso de larvicida granulado, para matar as larvas.

Entretanto, mesmo com todo este trabalho, a equipe alerta para a necessidade de a população fazer a sua parte, cando atenta com o acúmulo de água parada nos quintais ou terrenos vazios.