Cidade

[Cidade][bsummary]

Policial

[Policial][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Tecnologia

[Tecnologia][twocolumns]

Gato na água, só igual nesta imagem. Fora isso, é furto e pode custar R$ 1,7 mil ao fraudador



Frequentemente o Setor de Água e Esgoto da Prefeitura Municipal de Santa Rita do Passa Quatro se depara com fraudes nos hidrômetros, que caracterizam furto de água. Apesar de chamada de “gato”, as fraudes são crime e estão sujeitas às sanções das leis em vigência.

Uma das fraudes identificadas no município é o desvio de água antes de passar pelo hidrômetro, com alteração do cavalete. Esta semana, o Setor de Água e Esgoto realizou um flagrante desta prática em uma chácara do município.

De acordo com o Decreto Municipal no 666/80, o proprietário ou morador que for flagrado com fraude no hidrômetro está sujeito a multa de um salário de referência, cerca de R$ 170,00, mais duas vezes os dois últimos consumos, acrescido de taxas de corte e religação. O morador também deverá arcar com os custos de um novo padrão. No total, o Setor de Água estima que o custo pode chegar a R$ 1.700,00.

A maioria das fraudes é detectada pelos funcionários que percorrem os bairros fazendo a marcação de quanto o cliente gastou durante o mês. O furto de água geralmente é descoberto quando o cliente diminui radicalmente este consumo.

Além de prática criminosa, o fraudador ainda consome mais, por não estar sendo medido, afetando diretamente o sistema de abastecimento, que já passa por dificuldades, diante da falta de chuvas. “Enquanto você economiza e paga regularmente sua conta, seu vizinho pode estar furtando água e desperdiçando”, diz o responsável pelo Setor de Água.