Cidade

[Cidade][bsummary]

Policial

[Policial][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Eventos

[Eventos][twocolumns]

Indivíduo que agrediu a própria mãe foi preso pela Polícia Militar



No domingo, dia 30 de julho, os Policiais Militares de Santa Rita Cabo PM Daniel e Cabo PM Anselmo, após receberem uma solicitação do COPOM-Ribeirão Preto, diligenciaram até uma residência situada na Rua Barão de Cotegipe e constataram que uma mulher de 64 anos estava sofrendo agressões físicas graves.

O autor da agressão, filho da vítima, foi preso em flagrante delito e encaminhado à Cadeia Pública de São Carlos.

Através da sanção da Lei 11.340 - Lei Maria da Penha - em 2006, as mulheres passaram a ser amparadas por inúmeros instrumentos e serviços para garantir seus direitos e o atendimento em situações de violência.

Com o objetivo de atuar no fortalecimento da sociedade e contribuir para ações de prevenção, a 3a Companhia de Polícia Militar está firmando parcerias com o CODIM - Conselho Municipal dos Direitos da Mulher - com o propósito de disseminar práticas de prevenção e enfrentamento à violência contra as mulheres.

Tipos de violência doméstica e familiar:

A Lei Maria da Penha define cinco formas de agressão como violência doméstica e familiar:

1 - Violência psicológica: causar dano emocional, diminuir a autoestima, prejudicar e perturbar o pleno desenvolvimento pessoal, degradar ou controlar comportamentos, ações, crenças e decisões mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação e isolamento, tirando a liberdade de pensamento ou ação;

2 - Violência física: ofender a integridade ou a saúde corporal, bater, chutar, queimar, cortar, mutilar;

3 - Violência moral: ofender com calúnias, insultos ou difamação - lançar opiniões contra a reputação moral, críticas mentirosas e xingamentos;

4 - Violência patrimonial: reter, subtrair, destruir parcial ou totalmente objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos;

5 - Violência sexual: presenciar, manter ou obrigar a participar de relação sexual não desejada mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força que induza a mulher a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade.

Faça sua denúncia através do 190 ou do 181. O sigilo é garantido por lei.