Cidade

[Cidade][bsummary]

Policial

[Policial][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Eventos

[Eventos][twocolumns]

Delegado Responde - Embriaguês ao volante e agressão contra mulheres



JORNAL O SANTARRITENSE - Dr. Domingos, essa semana, mais precisamente na tarde do dia 12, nas proximidades de uma escola de nossa cidade, mais um motorista foi surpreendido conduzindo veículo sob efeito de álcool, o Dr. pode nos fornecer maiores detalhes sobre referida ocorrência?

DR. DOMINGOS ANTONIO DE MATTOS - Infelizmente as pessoas ainda não se conscientizaram sobre o perigo de conduzir veículo automotor com a capacidade psicomotora alterada em virtude do consumo de álcool ou outra substância psicoativa, estando o registro desse tipo de ocorrência se tornando comum não só em nosso município, como também nos demais da Federação. No caso ora abordado, na tarde do dia 12 de junho p.p., na Rua Florindo Viviani, altura do numeral 193, na Vila Mello, o indigitado autor conduzia o veículo VW/Gol em ziguezague, subiu na calçada e quando desceu atingiu a porta de um veículo GM Meriva que estava devidamente estacionado. Quando os policiais chegaram para atender a ocorrência observaram que o condutor do VW/Gol estava aparentemente embriagado, vez que exalava forte odor etílico, estava com os olhos avermelhados, exaltado, com fala pastosa e desequilibrado. Conduzido até a Santa Casa local o médico plantonista examinou o motorista e concluiu que ele apresentava sintomas de embriaguez, razão pela qual determinei a lavratura do auto de prisão em flagrante delito. Após as formalidades legais ele foi liberado mediante pagamento de fiança, tendo o veículo e sua CNH permanecido apreendidos.

J.O.S. - Esse motorista terá sua CNH suspensa?

DR. DOMINGOS - Após ser submetido a um procedimento, onde sua defesa será garantida, o indigitado autor poderá ter sua CNH suspensa pelo período mínimo de 12 meses, bem como terá de pagar multa no valor de R$ 2.934,70. Em caso de condenação, se for surpreendido conduzindo veículo automotor durante cumprimento da pena, terá sua CNH cassada por dois anos e terá de reiniciar todo processo de habilitação. Nesse caso, o que mais nos preocupou foi à possibilidade de que tivesse ocorrido algo mais grave, inclusive com vítimas, vez que o local é próximo de uma escola onde crianças, adolescentes e seus responsáveis circulam durante todo o período de aula.

J.O.S. - Durante vários finais de semana foi realizada a Quermesse na praça central de nossa cidade onde o fluxo de pessoas foi muito grande. Isso trouxe alguma alteração no número de ocorrências?

DR. DOMINGOS - A tradicional quermesse de nosso município é uma festa familiar, onde dificilmente você tem algum tipo de ocorrência de crime, além do que os organizadores geralmente contratam seguranças particulares para o interior do recinto. A preocupação das polícias, nesta ocasião, é com a segurança da grande quantidade de veículos que ficam estacionados nas proximidades, bem como residências que permanecem vazias enquanto seus moradores participam da festa. Em virtude dessa preocupação foi montado um plano especial de policiamento preventivo especializado, o que garantiu tranquilidade durante todo o período, não havendo nenhuma alteração na ordem pública.

J.O.S. - No dia dos namorados tivemos alguma ocorrência relacionada com a Lei Maria da Penha?

DR. DOMINGOS - Até mesmo nessa data tão especial, onde se comemora o amor, algumas mulheres não são respeitadas e acabam sendo agredidas por seus companheiros. Na manhã do dia 12 p.p., compareceu na Delegacia de Polícia uma jovem de 28 anos, narrando que seu marido, com quem convive há mais de 8 anos, em virtude do uso de álcool, tem chegado a sua casa violento e lhe agrediu em três oportunidades distintas, uma com um capacete, outra com um cabo de vassoura e finalmente com chutes e socos. Cansada dessa situação procurou essa Unidade, onde determinei a adoção das providências cabíveis e previstas na Lei Maria da Penha, bem como encaminhei a notícia crime para conhecimento do Judiciário, vez que a vítima solicitou ser amparada pelas medidas protetivas do referido diploma legal, inclusive o afastamento do agressor. Essas ocorrências também estão sendo registradas com constância e demonstram que as mulheres deixaram de ser submissas e estão se utilizando do direito a elas garantido e que visa garantir sua integridade física e moral.