Cidade

[Cidade][bsummary]

Policial

[Policial][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Eventos

[Eventos][twocolumns]

Testamos o Moto G4 Plus, um intermediário com cara de gente grande


Um aparelho intermediário conta com uma missão muito dura: oferecer ótimos recursos para garantir bom desempenho, mas sem ir muito longe para não ser o top de linha da marca, cortando assim custos e itens do desenvolvimento. No fim, estar pressionado pelos dois lados faz de um produto desta categoria ou algo muito bem planejado, equilibrado e funcional, ou um apanhado de material de segunda categoria com “casca plus”.

Entre estas opções, testamos o Moto G4 Plus, smartphone da Motorola que segue a linha da família G4, com boas ideias que compensam algumas de suas limitações, buscando agradar a todos que querem bom desempenho, mas não podem ou não querem desembolsar mais em um top de linha. Vamos, então, conhecer melhor o aparelho e ver como ele se comporta no dia a dia, e é claro, nos games também.

Os aparelhos da Motorola sempre foram conhecidos por sua robustez e firmeza, e é exatamente esta a definição do Moto G4 Plus. Não há nada de especial em seu design, mas a traseira de silicone emborrachado e seu formato arredondado cumprem bem o papel de se ter um produto simples e direto. Temos, então, em mãos um aparelho firme, e que dá confiança para usá-lo sem medo.

Com seu visor de 5.5 polegadas em Full HD, é possível sim assistir a vídeos e rodar jogos com ótima qualidade, somados claro, ao hardware que o acompanha. Não se pode esperar qualidade extrema no Moto G4 Plus, porém o que é entregue ao consumidor apresenta ótima qualidade em vídeo, com cores adequadas e boa nitidez. Assistimos a episódios de séries na Netflix e alguns vídeos no Youtube e pudemos conferir a boa resposta de todos os vídeos, com ótima qualidade, mesmo com alguns problemas em tons mais escuros.

A câmera do Moto G4 Plus não impressiona, mas não compromete. O destaque, neste caso, fica com a liberdade que a Motorola dá para o usuário com um modo manual bem completo. A maioria esmagadora dos usuários apenas pegam a câmera e fotografam sem se preocupar muito com questões como abertura ou o ISO, porém aqui temos uma iniciativa até simpática, diria, que convida os donos do aparelho a se aventurarem nas configurações em busca de imagens mais interessantes.

Vindo de fábrica com o Android 6.0.1, o Moto G4 Plus segue a linhagem da Motorola de oferecer “o que o Android deve oferecer”: um sistema rápido, sem muita coisa desnecessária e, com a liberdade que cada empresa tem de colocar seus recursos, oferecer apenas soluções de fato úteis e relevantes a um usuário que, com o mínimo de conhecimento, fará por si só as mudanças que achar necessário.

O Moto G4 Plus, além do Android puro, que ajuda bastante no desempenho, também conta com configurações bem balanceadas, como o Snapdragon 817, cota-core, 2 GB de RAM e uma Adreno 405, que garante não só jogos em alta qualidade, mas também um uso corriqueiro sem maiores dores de cabeça. Durante nossos testes, raramente o aparelho apresentou aquecimento, e seu uso foi sempre tranquilo, sem travadas.

Em modelos intermediários, não esperamos grandes coisas, mas também não aceitamos relaxo no desenvolvimento. O desafio de corte de custos x desempenho satisfatório foi bem cumprido aqui, já que a Motorola praticamente cumpriu com excelência a “cartilha dos intermediários”. Com sistema operacional o mais leve possível, sem tranqueiras, bons recursos como o leitor biométrico, câmera decente, e que dá conta de rodar jogos e aplicativos sem esquentar muito ou travar, na medida do possível, o Moto G4 Plus é sim uma ótima opção para quem quer desempenho, aceita as limitações da categoria em que ele se encaixa, e não quer pagar mais por um aparelho top de linha.