Cidade

[Cidade][bsummary]

Policial

[Policial][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Eventos

[Eventos][twocolumns]

ZPP Meio Ambiente: Para especialista, conscientização do consumidor é essencial



Você já pensou em parar de jogar suas coisas fora e levá-las para o conserto, se houvesse algum incentivo por parte do governo, como redução de impostos? Pois não é que o governo da Suécia vai reduzir impostos sobre reparo de objetos e roupas, buscando, assim, mudar o ciclo de consumo, de ‘’comprar, usar, jogar fora e comprar de novo’’ para ‘’comprar, usar e consertar’’. Para que isso se torne possível, a orçamento do país para 2017 vai cortar a taxa do IVA que incide sobre pequenos reparos para produtos como bicicletas, eletrodomésticos, sapatos e roupas de 25% para 12%, segundo reportagem da BBC. Assim, consertar um produto com alguma avaria ou costurar uma roupa dani cada sairá mais barato do que acontecia até agora. Com isso, tais produtos terão sua vida estendida e, ao reduzir o consumo de materiais, as emissões de gases poluentes diminuirão.

O Diretor-presidente do Instituto Akatu, Helio Mattar apoia a iniciativa da Suécia, ressaltando que consertar um produto ao invés de comprar um novo é uma ação do consumidor a favor do meio ambiente e da sociedade.

— Este tipo de iniciativa é uma oportunidade de as pessoas contribuírem para que o meio ambiente e a própria sociedade possam ser melhores diante das decisões de consumo e não-consumo. É preciso conscientizar o consumidor dos impactos dessas decisões de consumo no médio e longo prazos.

No entanto, alguns fatores podem di cultar a implantação imediata de tais iniciativas, dependendo do produto a que se refere, principalmente na montagem de uma rede de assistência técnica que atenda a um aumento da demanda por reparos. Quando se fala em roupas, a situação é um pouco diferente, pois já há uma estrutura razoável de o cinas de costura e brechós bem aparelhados para fazer reformas, consertos e recuperação das peças.

Outro fator limitante para que ideias similares à sueca, segundo Mattar, é a própria forma de pensar do consumidor, já que a in uência do mercado faz com que haja uma tendência do indivíduo de sucatear aparelhos. Ele dá como exemplo o caso dos celulares: os fabricantes mudam os designs dos aparelhos, criam novas funcionalidades e as vendem como absolutamente necessárias, as operadoras oferecem condições vantajosas, tudo para levar o consumidor a trocar de aparelho muito antes de acabar sua vida útil.

— Cabe ao consumidor tomar a decisão de sucatear e colocar o aparelho de lado antes do fim de sua vida útil. Essas pessoas não se dão conta de que estão ajudando a provocar o aquecimento global. Se todos se conscientizassem, seria uma contribuição muito grande para o meio ambiente e a sociedade em geral.

Fonte: O Globo