Cidade

[Cidade][bsummary]

Policial

[Policial][bsummary]

Mulher

[Mulher][bsummary]

Eventos

[Eventos][twocolumns]

Santarritense 2.0: O V3 pode voltar. Vamos relembrar alguns celulares que você queria nos anos 2000?


O Motorola V3 – também chamado de Razr V3 – apareceu em um vídeo divulgado pela Motorola nesta semana. A fabricante (uma empresa da Lenovo) ainda não revelou por que o celular se tornou o alvo das atenções da empresa. Doze anos depois de seu lançamento, porém, ele vou à boca do povo.

Há rumores sobre um novo Razr V3 e o possível retorno dos telefones com flip ao mercado. No entanto, a companhia não liberou mais informações. Para entrar no clima de aparelhos da década passada, nós fizemos uma lista com vários modelos que fizeram sucesso nos anos 2000, incluindo o iPhone 3GS e o LG Chocolate. Recordar é reviver...

Razr V3 (2004)


Sonho de consumo por volta de 2004, o Razr V3 tinha como ponto principal o design elegante, com 13 mm de espessura, o que era bem fino para a época. A aparência foi tão importante para a linha que o aparelho ganhou edições especiais, como a rosa claro e a rosa pink.

O V3 tinha teclado de aço escovado e tela TFT de 2,2 polegadas, com resolução de 176 x 220 pixels. Ao fechar o telefone, graças ao formato flip, o aparelho tinha um display secundário de 96 x 80 pixels, que também era colorido. O celular da Motorola vendeu 130 milhões de unidades, entrando para o ranking de modelos mais vendidos da História.

Com câmera VGA – o que era de alto nível na época –, o celular também tinha Bluetooth 1.2 e porta mini-USB. A memória interna tinha cerca de 5,5 MB, um número quase impossível de imaginar atualmente, mas que era bastante interessante para seu ano de lançamento. Isso era suficiente para fotos, agenda telefônica para até 1 mil contatos, arquivos MP3 e MP4, e, é claro, a sensação da época: os toques polifônicos.

Com sistema baseado em Java, o Razr V3 acessava a web pelo navegador WAP.

Nokia 3310 (2000)


O Nokia 3310 foi um dos celulares que estrearam na década de 2000. Com 136 milhões de unidades vendidas, o celular é um dos mais comercializados de todos o tempos também. Ao contrário do V3, o sucesso do aparelho se deu graças ao preço baixo, e não pelo visual rústico, que, inclusive, deu fama a vários telefones da Nokia. O 3310 contava ainda com várias capas coloridas para trocar.

O celular GSM tinha uma tela monocromática de 1,5", que podia até não ser a melhor do mercado, mas que foi sufciente para marcar uma geração com games como Snake, o popular "jogo da cobrinha". Para completar, o Nokia 3310 trazia um combo de baterias (uma interna de 1.000 mAh e uma removível de 900 mAh).

O Nokia 3310 não tinha memória interna suficiente para a agenda. Por isso, os contatos eram salvos no chip. Sem internet, os recursos ficavam restritos a ligações, SMS, previsão de texto por T9, calculadora, conversor de moeda e toques monofônicos.

Siemens A50 (2002)


O Siemens A50 chegou em 2002, justamente para competir com o Nokia 3310, com preço bastante competitivo. A tela monocromática de cinco linhas (101 x 64 pixels) trazia luz interna alaranjada, uma saída da fabricante para dar sensação de cor. O modelo também permitia trocar a carcaça, mas a versão azul com cinza foi a que conquistou os consumidores.

A tela exibia não só letras, como logos e proteções de tela. As animações podiam podiam ser baixados via EMS, uma versão prévia do também obsoleto MMS. Outra vantagem é que o A50 contava com uma agenda telefônica própria, com capacidade para até 50 registros. Por outro lado, a bateria de 650 mAh era bem inferior à do rival, o que pode ter ajudado na popularidade do Nokia. Não havia muito além de funções como ligações, SMS, relógio, despertador, alerta vibratório e download de toques monofônicos.

Nokia 1110 (2005)



O Nokia 1110 não era somente um sucesso, mas um ícone dos anos 2000. Com lançamento em 2005, o telefone é considerado em algumas listas como o celular mais vendido de todos os tempos, com mais de 250 milhões de unidades. É difícil saber o motivo deste sucesso, mas a fabricante finlandesa dominou o mercado de celulares no início da década passada. Vale lembrar que a Nokia tem 13 dos 20 celulares mais famosos da história.

As especificações do 1110 não diferem muito de outros modelos da companhia no período. O corpo resistente e com design em barra tinha peso de 80 g e 1,7 cm de espessura. A tela STN era monocromática, com 1,6" (96 x 68 pixels), com direito a screensavers. A navegação era feita pelo botão de quatro direções, localizado no meio do aparelho GSM dual-band.

O aparelho apresentava memória flash de 32 MB e 4 MB de armazenamento. O conjunto parece inimaginável atualmente, mas, em 2005, essa era uma ficha técnica potente. A memória interna do Nokia 1110 servia para salvar toques polifônicos, ícones e animações recebidas via Instant Messaging, além de 200 contatos na agenda. Com jogos icônicos, incluindo Snake, capas removíveis e bateria de 900 mAh, o Nokia 1110 é um dos telefones mais bem-sucedidos da história.

LG Chocolate (2006)


O LG Chocolate foi inovador quanto ao design dos telefones da época: a tela deslizava para cima, para revelar o teclado numérico. Com lançamento em 2006, o celular tinha teclas sensíveis ao toque e iluminadas, tela TFT de 2" (176 x 220 pixels) e memória interna de 128 MB, o que era considerado incrível para 2006. Além disso, o LG Chocolate tinha câmera de 1,3 MP com flash LED, que fazia vídeos com qualidade QCIF (176 x 144 pixels). Sobre as conectividades, havia Bluetooth 1.2, USB e navegação com suporte a WAP 2.0 e xHTML.

Para completar a ficha técnica do Chocolate, a bateria de 800 mAh aguentava até 6 horas de conversação e 200 horas em modo de espera. O celular estava à venda nas cores branco, vinho, rosa e preto, rodando um sistema operacional próprio.

iPhone 3GS (2009)


A terceira geração do iPhone foi a de maior sucesso nos anos 2000, passando dos 35 milhões de vendas. Sucessor do iPhone 3G, o iPhone 3GS foi lançado em 2009 e também trazia suporte à rede HSDPA (7,2 Mb/s). O design sofisticado foi um dos atributos mais elogiados, o que se tornou uma marca da linha. Com dimensões de 11,5 x 6,2 x 1,2 cm e peso de 135 g, o iPhone estava à venda nas cores branco e preto.

A tela TFT tinha 3,5" (320 x 480 pixels) e trazia vidro com proteção Gorilla Glass. O telefone contava com uma câmera traseira de 3,15 MP e lentes de f/28. O dispositivo tinha recursos de localização geográfica por GPS, câmera com foco automático gravação de vídeo em 480p.

O iPhone 3GS contava com três opções de armazenamento (8 GB, 16 GB e 32 GB), mas só as duas maiores chegaram ao Brasil, por preços a partir de R$ 1.699. No hardware interno estavam especificações como o processador Cortex A8, de 600 MHz e a memória RAM de 256 MB, com direito ao sistema iOS 3 de fábrica. É válido ressaltar que o aparelho recebeu atualizações até a versão 6.1.6 do sistema da Apple.

Além de rede 3G, o iPhone 3GS tinha conectividade Wi-Fi (802.11 b/g), Bluetooth 2.1, GPS e USB 2.0. O modelo também estreou a integração com o serviço na nuvem iCloud e outros programas, como Facebook e Twitter.

BlackBerry Curve 8520 (2009)


Em 2009, a BlackBerry lançava o Curve 8520, modelo de grande sucesso entre empresários e profissionais. O teclado QWERTY, grande marca da companhia, acabava por deixar o telefone mais quadrado que os concorrentes – o que não era considerado um defeito.

Acima do teclado grande, ficava a tela TFT de 2,46" (320 x 240 pixels). A única câmera do celular tinha 2 MP e gravava vídeos em 320p, mas sem recursos adicionais. A memória interna de 256 MB não era das melhores, mesmo para os padrões época. Em compensação, o Curve 8520 trazia entrada para microSD de até 32 GB.

O smartphone tinha entrada para fone de ouvido e microUSB. As transferências de dados também podiam ser feitas via Bluetooth 2.0, Wi-Fi (padrões b/g) e pela rede 2G – o navegador já era HTML. O telefone saía de fábrica com o BlackBerry OS 5.0, executado com um processador de 512 MHz. O BlackBerry Curve 8520 carregava uma bateria de 1.150 mAh, com autonomia de até 4 horas e 30 minutos.