Motorista de ônibus no RJ cria grupo no WhatsApp para ajudar seus passageiros com os horários

Motorista de ônibus no RJ cria grupo no WhatsApp para ajudar seus passageiros com os horários


Sabe aquelas situações que nos fazem respirar aliviado por nos dar esperança de que a humanidade vale a pena? Pois a atitude de um motorista carioca está nesta categoria.

O motorista de ônibus Michel Costa, da linha Fagundes Alcântara/São Cristóvão, em Niterói (RJ), acaba de comprovar que não é necessário grandes atos para fazer diferença na vida das pessoas.

A linha em que Michel trabalha passa por uma área bastante perigosa e, pensando na segurança das pessoas que apanham seu ônibus, ele decidiu, por iniciativa própria, criar um grupo no WhatsApp para notificar os passageiros a hora exata que o ônibus sai dos pontos inicial e final. Isso ajuda às pessoas a não ficarem muito tempo esperando em pontos que os deixaria vulneráveis a assaltos e outros tipos de perigo.

A gentileza do motorista foi relatada por Gabriel Coutinho, um dos passageiros que fazem parte do grupo no Whatsapp, no Facebook:

“TODOS os dias. TODA viagem que começa e termina, ele nos avisa quando está vindo nos buscar, repito, TODOS os dias. E sem receber nada mais por isso. Nada”, escreveu.

Michel se divide nas funções de motorista e cobrador e ainda coleta todos os números de celular de quem precisa pegar o ônibus diariamente.

“Se você precisa pegar esse ônibus diariamente, ele se prontifica a pegar um pedacinho de papel e caneta que possui em seu bolso e pede pra você anotar para que ele te adicione no grupo e nunca fique na mão”, contou Gabriel em seu post.

Leia Mais
Programa da Prefeitura irá selecionar desempregados para frente de trabalho

Programa da Prefeitura irá selecionar desempregados para frente de trabalho



Em meio a crise e ao desemprego, a Prefeitura Municipal de Santa Rita do Passa Quatro Departamento de Assistência e Desenvolvimento Social criou o Programa Auxílio ao Desempregado. O programa irá selecionar 20 pessoas desempregadas a fim de proporcionar-lhes ocupação, qualificação profissional e renda, junto ao Departamento de Assistência Social, mediante a concessão de bolsa-auxílio no valor de um salário mínimo, cesta básica, seguro de vida e de acidentes pessoais e cursos e treinamentos de capacitação profissional, pelo prazo de 12 meses, prorrogável por igual período.

O prazo de inscrições vigorou até a última sexta-feira (19/5) e para se inscrever os candidatos tiveram que obedecer à alguns critérios, como residir no município no mínimo por três anos -- mediante comprovação documental. Exclusivo para desempregados, o candidato também não poderia ter outra fonte de renda e subsistência própria e não estar recebendo seguro-desemprego.

O processo de seleção será realizado na próxima semana, de terça a sexta-feira (23, 24, 25 e 26/5), das 8h às 11h e das 13h às 17 horas, no Parque Turístico Municipal Pedro Girotto (Clube de Campo), e o candidato será avaliado por uma Comissão composta por 11 pessoas.

Os critérios de pontuação bem como as regras para a seleção estão discriminados em edital publicado no site da prefeitura municipal www.santaritadopassaquatro.sp.gov.br no aba Concursos.

O Programa Auxílio ao Desempregado foi criado pela Lei No 3.351, de 18 de abril de 2017.
Leia Mais
Conversamos com Danielle Miskuliin, modelo plus size de destaque

Conversamos com Danielle Miskuliin, modelo plus size de destaque



O plus size está na moda! Os manequins acima do 44 estão ganhando espaço no mercado e na coleção de muitos es listas mundo a fora. Os tamanhos, antes considerados totalmente desproporcionais e nada atrativos, vêm ganhando cada vez mais espaço na mídia. E para falar um pouco sobre esse assunto, entramos em contado com Danielle Miskulin, modelo plus size.

Jornal O Santarritense - Fale um pouco de você.

Danielle Miskulin - Sou Danielle Miskulin, formada em Ciências Atuariais, mãe do Pedro Henrique e da Maria Eduarda, também dona de casa e modelo plus size. Nasci em São Paulo capital e hoje estou com 36 anos. Sou filha de Miguel Miskulin Junior e Laurita Miskulin, irmã do Rodrigo e da Marina. Resido em Santa Rita e meus filhos estudam aqui. Pedro no COC e Maria na Escola Madre Carmelita.

J.O.S. - Você tem feito fotos publicitárias como modelo plus size e em breve fará um ensaio sensual? Fale sobre isso.

Danielle - Sim, já faço fotos profissionais e no próximo mês, em parceria com algumas marcas de lingerie farei sim um ensaio sensual. Ser modelo é um trabalho como qualquer outro, eu não faço exposição do meu corpo, e sim fotos onde o principal foco são os produtos e a beleza. Adoro participar de editoriais e desfiles, além de profissão, fazer essas fotos é um hobby.

J.O.S. - A moda plus size está com tudo e você realizada não é?

Danielle - A moda Plus Size cresceu muito nos últimos anos e a tendência é que continue em expansão. Hoje achamos mais facilmente moda para todos os tamanhos e podemos vestir o que gostamos e não apenas o que nos serve. Mais de 50% da população está acima do peso e o mercado já percebeu que tem que acompanhar esse crescimento. Não devemos ter vergonha de nossas medidas e do tamanho de nosso manequim. Precisamos nos impor e cobrar dos fabricantes e dos lojistas que nos respeitem, detesto quando entro em uma loja que diz vender moda plus size e considera um GG minúsculo e uma e queta 54 que não veste nem um manequim 46 como roupas para nós.

J.O.S. - Você se acha gorda? 

Danielle - Eu não me acho gorda, eu sou gorda! Gorda é apenas um adjetivo assim como tantos outros como elegante inclusive. Depois que me aceitei, parei de me punir por eu não conseguir emagrecer e ser como os outros gostariam que eu fosse. Ser gorda não significa ser doente ou ser feia, a sociedade impõe regras de como devemos ser, mas o mais importante é ser feliz independente de "padrões". Devemos ensinar nossos filhos que doente é ser preconceituoso, assim quem sabe no futuro gordo não sofra tanta discriminação.

J.O.S. – Obrigado pelo bate papo Dani.
Danielle - Eu que agradeço a oportunidade.
Leia Mais
Carmem Escobar Pires – Santarritense que foi a priimeira mulher a presidir uma Entidade Médica no Brasil

Carmem Escobar Pires – Santarritense que foi a priimeira mulher a presidir uma Entidade Médica no Brasil



Carmem Escobar Pires nasceu aos 9 de setembro de 1898, em Santa Rita do Passa Quatro (SP). Era lha de Manoel Bueno Barbosa Pires e de Teresa Escobar Pires. Formou-se professora normalista em 1914 e graduou-se, em 1920, na terceira turma da Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo, hoje, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, ocasião em que defendeu a tese Semiótica dos Pleurises. Foi a terceira mulher do Estado de São Paulo a se formar em medicina, sendo precedida por Délia Ferraz e Odette N. de Azevedo Antunes, graduadas em 1918, na primeira turma da Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo.

Interessada por maiores conhecimentos, empreendeu viagem de estudos à Europa, aprimorando-se em Paris. Especializou-se em cirurgia obstétrica. Retornando ao Brasil, dedicou-se também à carreira universitária, como professora de Medicina, ao longo de sua vivência profissional. Teve grande atuação cientí ca. Não se encontravam textos de mulheres médicas na revista Gazeta Médica da Bahia até 1927, quando Carmen Escobar Pires publicou o artigo intitulado "Sobre um Caso de Síncope Anestésica - Injeção Intracardíaca de Adrenalina - Cura".

Em agosto de 1965, Carmen ocupou o cargo de assistente-adjunto do então criado Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Associação Evangélica Beneficente. Nessa entidade, prestou serviços médicos por mais de 30 anos! Era presbiteriana e participou intensamente da vida de sua igreja, tendo sido diaconisa da Primeira Igreja Presbiteriana Independente, em São Paulo. Carmen Escobar Pires não se casou, tampouco deixou descendentes. Faleceu em 10 de fevereiro de 1984, aos 85 anos. Seu corpo foi sepultado no Cemitério dos Protestantes, fundado em 1858 e localizado na Rua Sergipe, n. 177, no bairro de Higienópolis. Seu nome é honrado como patronesse da cadeira n. 112 da augusta Academia de Medicina de São Paulo.

Esses dados, associados ao fato de que em meados do século XX havia um número exíguo de mulheres médicas, além de um explícito preconceito ou uma dissimulada misoginia com relação à ascendência feminina e a valoração da masculina, facultam, pois, a inferir não somente o elevado grau de conhecimentos técnico-profissionais, mas também o grande respeito e a inegável capacidade de liderança que Carmen Escobar Pires tinha entre seus pares para galgar a presidência da honorável Academia de Medicina de São Paulo, numa época totalmente infensa a essa façanha!

Na edição de fevereiro de 2017 a revista da Associação Paulista de Medicina apresentou homenagem para a nossa saudosa santarritense, através de um suplemento cultural.
Leia Mais
ZPP Meio Ambiente: Biólogo explica importância das baratas, lagartixas e abelhas para o meio ambiente

ZPP Meio Ambiente: Biólogo explica importância das baratas, lagartixas e abelhas para o meio ambiente



Assustadores, repugnantes e até nojentos. Muitas pessoas sentem pavor de alguns bichos como baratas, lagartixas, abelhas e até de mosquitos. Mas a preservação deles é importantíssima para o meio ambiente. “Cada espécie tem uma função especial no ecossistema, e sua extinção poderia trazer alguns impactos ou desequilíbrio ao meio ambiente, mas que a maioria das pessoas desconhece”, diz o Biólogo Giuseppe Puorto, membro do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia – 1a Região (SP, MT e MS).

As abelhas, por exemplo, são e cientes polinizadoras, um trabalho fundamental para a promoção da diversidade das espécies de plantas. “É na polinização das ores que as abelhas prestam um enorme serviço ao meio ambiente, dando origem aos frutos de inúmeras espécies e chegando a aumentar a produtividade de plantas cultivadas em até 500%”, explica o Biólogo. Tanto que a redução da popula- ção de abelhas na Europa e Estados Unidos, nos últimos anos, se tornou uma das principais preocupações entre os cientistas.

As baratas também exercem um papel relevante, principalmente as que vivem na natureza. “Elas se alimentam de restos mortais de animais, excrementos de aves e material vegetal em decomposição, contribuindo com a manutenção da oresta. E serve também de alimento para outros animais, como pássaros, anfíbios e lagartos”, conta Puorto. No entanto, as urbanas já não são tão essenciais assim e, se eliminadas de vez do planeta, fariam pouca falta.

Embora, provavelmente, esteja na lista de um dos animais que as pessoas mais tenham desconforto, a lagartixa é uma aliada justamente no controle de pragas domésticas. Mosquitos, moscas, percevejos e até mesmo as temidas baratas urbanas, além de outros insetos que provocam tanto incômodo aos humanos, fazem parte do cardápio da lagartixa. “O seu desaparecimento certamente provocaria uma superpopulação de mosquitos”, conclui o Biólogo do CRBio-01.
Leia Mais